A empresa como facilitadora de questões da família

Inclusão e acessibilidade para membros com necessidades específicas ou limitações

Freepik

A teoria defende que a empresa familiar não deve ser um lugar para os herdeiros que têm dificuldades de se colocar no mercado de trabalho ou uma saída para aqueles que não conseguiram desenvolver um projeto profissional. Mas toda diretriz tem exceções. Isso porque sabemos que diversas famílias têm entre seus integrantes pessoas com necessidades específicas ou limitações, quer sejam físicas e mentais, que precisam e merecem um propósito de vida.

Além disso, o trabalho pode ser um grande aliado no processo de desenvolvimento dessas pessoas e, infelizmente, encontrar no mercado um lugar onde gostem de estar e sejam respeitadas e cuidadas ainda é um desafio. Nesse sentido, a empresa da família acaba sendo uma opção que as deixa confortáveis e seguras. E não há nada de errado nisso.

Essa é uma situação típica em que empresa familiar pode ser uma facilitadora de questões que a família precisa administrar. E é totalmente possível encontrar atividades com as quais a pessoa com alguma necessidade especial possa contribuir dentro da organização sem que isso coloque o negócio em risco. Dessa forma, todos saem ganhando, o herdeiro, a família e a empresa.

Mas é preciso respeitar as regras, dedicando um tratamento igual ao de outras pessoas com sua mesma condição na empresa e que não são da família. Isso envolve definir os mesmos horários e atividades compatíveis com os benefícios oferecidos, com acessibilidade e inclusão para todos.

 

Veja também

Bairrismo: rapper pernambucano Mago de Tarso lança música com referência a Flávio José
música

Bairrismo: rapper pernambucano Mago de Tarso lança música com referência a Flávio José

Biden diz que os EUA iniciarão lançamentos aéreos de ajuda humanitária sobre Gaza
Gaza

Biden diz que os EUA iniciarão lançamentos aéreos de ajuda humanitária sobre Gaza