Trump ou Biden, próximas atrações...!

Donald Trump e Joe Biden concorrem à presidência dos EUA - Saul Loeb e Ronda Churchill/AFP

As eleições americanas, previstas para o dia 3 de novembro, já se deslocam para o centro das preocupações dos mercados mundiais que aguardam a realização do primeiro debate, em 30 de Setembro. Pesquisas apontam que o candidato democrata Joe Biden, 77, está na liderança. É preciso observar que a proposta de permitir maior votação via correio poderá gerar discussão, caso o resultado da corrida se aperte.

Independentemente do resultado das eleições, haverá extensas implicações na recuperação econômica e no comportamento dos mercados financeiros, pois temos, de um lado, o atual presidente prometendo maior corte de taxas e impostos e, do outro, Biden propondo o aumento destes e a melhoraria da infraestrutura americana, discursando sobre a “energia verde”. 

Esta eleição irá reorganizar a geopolítica, particularmente, a relação tensa entre os EUA e a China. No campo econômico temos todos os indicativos que a China está voltando a uma normalidade, o chamado “business as usual”.
 
Ao mesmo tempo, a China se verá obrigada a negociar em ambiente hostil e cético, tipificado por ações contra a Huawei e a pressão para venda das operações americanas da TikTok. 

Em resumo, as relações EUA/China-US continuam a deteriorar e observamos uma mudança de perfil, onde tínhamos uma guerra de “tecnologia e comércio” (trade and tech) para uma nova fase, com potencial para se tornar uma guerra de “capital’ (capital war).

Outro tema muito discutido entre os dois candidatos são os diversos organismos internacionais, que funcionaram em 1980 mas necessitam de reformas estruturais para um mundo digital. Temos de um lado, um candidato que prefere a reforma e, do outro, que tende a se afastar ou desligar destes.

Acredito que o primeiro debate será um divisor de águas nesta eleição, devido ao momento atípico e aos uso de canais quase exclusivamente digitais. Há grandes expectativas em relação ao comportamento e discernimento de Biden, por ser ainda um candidato pouco conhecido, em comparação à já conhecida e marcante personalidade de Trump. O atual presidente tem formato e conteúdo conhecido ao contrário de Biden que não tem tido a mesma oportunidade de interação com os eleitores. 

Uma questão controversa é a postura menos militar, com linguagem não convencional de Trump, ao compararmos com os 8 anos de Obama/Biden em que o poder militar foi bastante utilizado.

Enfim aguardemos os debates e coloquem suas apostas na mesa.

Os candidatos:
Donald Trump

Presidente Trump está concorrendo para um reeleição após uma vitória surpreendente em 2016 com um primeiro mandato tumultuado por investigações relacionadas a Rússia, procedimentos de Impeachment e pandemia COVID19. Apesar de sua taxa de aprovação estar em níveis baixos, a economia está forte e será um fator importante para aumentar as chances de sua reeleição

Joe Biden
Ex-Vice Presidente dos Estados Unidos

Biden está usando seu legado após servir 8 anos ao lado do então Presidente Barack Obama, propondo prosseguir com este legado em temas importantes como a saúde e a crise climática. Anterior ao seu tempo como vice presidente, Biden representou o Estado de Delaware no senado americano por 36 anos.