A-A+

Audi RS Q e-tron: o elétrico de 670 cv com alma puramente Dakar

Novo Audi RS Q e-tron - Divulgação/Audi

O novo Audi RS Q e-tron é apresentado após o conceito inicial e agora vai enfrentar um dos maiores desafios: o Rally Dakar. O elétrico vai estrear no deserto da Arábia Saudita no próximo ano. A Audi será a primeira fabricante a ter um carro elétrico para disputar o Rally Dakar. A potência máxima do sistema do e-drivetrain é de 500 kW, equivalente a 670 cv de potência.

Segundo a Audi, os motores elétricos podem ser controlados com extrema precisão e, assim, podem garantir uma boa dirigibilidade. Além disso, a energia de frenagem pode ser recuperada. A bateria pesa cerca de 370 kg e tem capacidade de cerca de 50 kWh.
 

O propulsor do Audi RS Q e-tron é elétrico. Os eixos dianteiro e traseiro são equipados com uma unidade geradora de motor (MGU), que equipa o atual carro Audi e-tron FE07 de Fórmula E, e que foi desenvolvido pela Audi Sport para a temporada 2021. Apenas pequenas modificações tiveram que ser feitas para usar a MGU no Rally Dakar.

Uma terceira MGU, de design idêntico, faz parte do conversor de energia e serve para recarregar a bateria de alta tensão enquanto dirige. Além disso, a energia é recuperada durante a frenagem. A bateria pesa cerca de 370 kg e tem capacidade de cerca de 50 kWh.
 

As características do Rally Dakar apresentam aos engenheiros desafios especiais. A maratona dura duas semanas e as etapas diárias têm até 800 quilômetros de extensão. "É uma distância muito longa", diz Andreas Roos, responsável pelo projeto Dakar na Audi Sport. "O que estamos tentando fazer nunca foi feito antes. Este é o maior desafio para uma transmissão elétrica."

O protótipo do Audi RS Q e-tron teve seu primeiro lançamento em Neuburg no início de julho. Um programa intensivo de testes e as primeiras inscrições de teste em comícios entre países estão na ordem do dia a partir de agora até o final do ano.

Veja também

Marcelo Chamusca não devia nem ter vindo para o Náutico
Blog Que Golaço

Marcelo Chamusca não devia nem ter vindo para o Náutico

Bolsonaro cumprimentou apoiadores em NY mesmo após saber de infecção de Queiroga
EUA

Bolsonaro cumprimentou apoiadores em NY mesmo após saber de infecção de Queiroga