A força do networking na carreira da mulher

Camila Tomasi, co-fundadora do grupo Mulheres do Mercado, e Camila Haeckel, do Inspiração Invest - Divulgação

A Folha Finanças desta semana recebe a co-fundadora do grupo Mulheres do Mercado, Camila Tomasi. Ela foi entrevistada por Camila Haeckel, do Inspiração Invest, parceiro do Blog, CEA e especialista em investimentos, além de trabalhar no mercado financeiro há mais de 12 anos e ser uma das líderes do grupo Mulheres do Mercado, na região Nordeste. 

Na entrevista, Camila fala sobre o Grupo Mulheres no Mercado, uma rede colaborativa formada exclusivamente por mulheres, que tem o objetivo de promover o fortalecimento das integrantes do grupo por meio da troca genuína de conteúdo e de experiências, colaborando diretamente para o crescimento umas das outras. Ela destaca ainda a importância da mulher no mercado de trabalho, e como as experiências podem ajudar umas as outras no mercado. 

Tomasi é publicitária, jornalista, pós-graduada em Negócios e Varejo de Moda e em Gestão de Vendas e Negociação. 

Confira a entrevista com Camila Tomasi a seguir.

O que é o grupo Mulheres no Mercado?

Inicialmente começamos como um grupo de networking entre mulheres do mercado financeiro, o grupo em si continua com esse foco, mas através do nosso Instagram estamos conseguindo expandir e chegar muito além desse mercado. Nosso propósito é promover o fortalecimento e empoderamento de mulheres por meio da troca genuína de conteúdo e experiências, colaborando diretamente para o crescimento umas das outras.

O que te motivou a criar esse grupo?

Nosso grupo nasceu quando percebemos que apesar de as mulheres se comunicarem mais do que os homens, fazem menos networking, o que faz com que elas muitas vezes percam oportunidades de trabalho, de carreira e de vida. 
De acordo com uma pesquisa realizada pelo GEM (Global Entrepreneurship Monitor), a mulher brasileira é a que menos faz networking no mundo. 

A ausência de mais mulheres no mercado de trabalho impacta diretamente o IDH/IDG, porque não é possível pensar em desenvolvimento econômico quando mais da metade da população do Brasil tem dificuldades de se estabelecer profissionalmente.

Qual o propósito desse grupo?

O objetivo é formar uma comunidade e promover colaboração, engajamento, networking e troca de informações e experiências por meio de eventos, conteúdos, orientações e trabalhos em rede. Essa iniciativa tem alta carga de relevância para as participantes, por fomentar a discussão de questões importantes da sociedade e do ambiente de trabalho.

Hoje com a pandemia tivemos que nos reinventar e reaprender a fazer tudo isso de forma online, nesse período essa troca através dos grupos de WhatsApp e reuniões virtuais nos fortaleceu muito.

No nosso Instagram a ideia foi tornar esse contato mais próximo também, desde o ano passado venho fazendo mais vídeos e dividindo mais meus desafios, conquistas e angústias através do perfil, isso fez com que o público se aproximasse e assim nosso perfil vem crescendo de forma orgânica e consistente e a nossa troca se tornando cada vez mais rica.

Como é o perfil das integrantes?

As integrantes dos Grupos de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte são mulheres que atuam em diversas frentes do Mercado Financeiro: investment banking, private equity, escritórios de advocacia, renda variável, educação financeira, diretoras jurídicas e CFOs de empresas. 

Mulheres que estão em busca dessa troca e de fazer a diferença uma na vida das outras.

E o núcleo do Nordeste?

Em 2020 começamos a estruturar nosso grupo do Nordeste. A Camila Haeckel, sócia da Athena-BGA está à frente desse projeto em Recife e já estamos muito animadas com o grupo incrível que está se formando. O Nordeste tem grandes mulheres atuando no mercado financeiro e temos certeza de que o projeto tem tudo para ser um sucesso absoluto.

Em que outras cidades vocês atuam?

Hoje temos grupos em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e agora iniciando em Recife. A ideia é que o Mulheres do Mercado possa estar em muitas outras cidades do Brasil. A pandemia certamente atrasou esses nossos planos, mas nossa ideia é expandir muito, para que cada vez mais mulheres possam se fortalecer e crescer através dessa iniciativa.

Como são esses encontros?

Antes da pandemia tínhamos jantares mensais dos grupos e alguns eventos abertos em parceria com grandes bancos de investimento e escritórios de advocacia, como BTG Pactual, Machado Meyer, Cescon Barrieu e Mattos Filho. 

Pós-pandemia estamos focadas nos encontros online e buscando cada vez mais proximidade e conexão através do nosso perfil no Instagram, o @mulheresdomercado.

Quando você pensa no futuro do Mulheres do Mercado, o que você imagina?

Adoro pensar sobre isso, gosto de imaginar que estaremos em muitas cidades e que vamos conectar e ajudar cada vez mais mulheres. 

Tenho participado de alguns eventos e palestras em empresas que buscam falar sobre o tema, ajudar suas colaboradoras e entender como elas mesmas podem criar esses grupos e se ajudar dentro das empresas, tornando o ambiente mais empático, saudável e colaborativo.

Desejo através desse projeto trazer cada vez mais conexão, empatia e força para as mulheres, mostrando que juntas podemos conquistar muito mais do que jamais sonhamos, esse é um grande sonho meu.

Veja também

Apesar da violência e da covid, papa Francisco inicia viagem histórica ao Iraque
Papa Francisco

Apesar da violência e da covid, papa Francisco inicia viagem histórica ao Iraque

Jaboatão dos Guararapes amplia horário de vacinação contra Covid-19
SAÚDE

Jaboatão dos Guararapes amplia horário de vacinação contra Covid-19