Área pequena? Saiba como driblar a falta de espaço para brincar com seu pet 

Manter o animal ativo fisicamente evita estresse, obesidade e previne doenças

Mulher brincando com um cachorro - Pexels

Morar em uma casa ou apartamento com espaço de sobra não é a realidade da maioria dos brasileiros. Contudo a restrição de espaço não detém os amantes de pets que sonham em ter um animalzinho. Mesmo em um ambiente restrito, a atividade física não pode ser dispensada da vida do pet. Ela é aliada da saúde e bem-estar não só para humanos, mas também para os animais. Por isso o Folha Pet separou algumas dicas de brincadeiras para gastar bastante energia do seu pet, mesmo em ambientes pequenos

Já percebeu que seu pet ama brincar com coisas pequenas, como um cadarço, um chaveiro ou uma bolinha? Os brinquedos pequenos são aliados de tutores que vivem em locais pequenos, pois o animal consegue brincar (chutando, pegando, jogando para cima) sem correr grandes distâncias. É possível montar bolinhas com meias que não são mais utilizadas. Só lembre que é um brinquedo a ser oferecido com supervisão, pois há cães que gostam de mastigar tecidos e acabam engolindo.

“Além da falta de espaço para o animal correr ou se movimentar, os tutores também precisam encarar a rotina diária de cada família, que nem sempre favorece esses momentos de entretenimento e cuidado com o amigo que fica em casa”, afirma Patrícia Sprada, CEO da EcoCão Espaço Pet, franquia especializada em cuidado animal. 

Confira algumas brincadeiras que não precisam de muito espaço para sua realização: 

1 - "Mágica do copo"
Na brincadeira, o tutor escolhe algum brinquedo do pet ou algum objeto que chame a atenção do animal para 'esconder' em copos ou baldes. A intenção é distrair o pet para que ele encontre o brinquedo escondido. Além de estimular o pet como atividade física, essa brincadeira também é um exercício para a memória. 

2 - Caça petisco
Nessa atividade, o tutor põe um pouco de ração ou petiscos em um local que exija mais destreza do pet para conquistar o alimento. Um exemplo é usar uma caixa com recortes circulares ou retangulares que só permitam a passagem das patas do animal. Com a caixa presa ao chão, os pets precisarão se esforçar mais para conquistar o "prêmio". Essa brincadeira é muito querida por felinos. 

Gato brincando Caça petisco

3 - Cabo de Guerra
Há quem diga que não é a melhor das brincadeiras, mas, com certeza, é uma forma de interagir com o pet e promover o entretenimento em casa. Por isso, invista em cordas para a diversão. “Mas tome cuidado apenas para não machucar o pet com a força na hora de puxar a corda para você”, alerta Patrícia Sprada. 

4 - Pescaria
Com uma vara, um cordão e uma bolinha de tecido (ou algum brinquedo que não machuque o animal), o tutor constrói um brinquedo que é capaz de cansar até o pet mais enérgico. O cordão deve ser preso na ponta da varinha, formando algo parecido com uma vara de pescar, e o brinquedo deve ser preso na outra ponta do cordão, como se fosse um anzol. A brincadeira consiste em oferecer o brinquedo da ponta do cordão para o pet e, quando o pet tentar alcançar o brinquedo, puxar a varinha. 

 Além das dicas, a especialista reforça a importância do carinho com o animal, principalmente em relação ao tempo que ele passa dentro de casa. “Muitas vezes, o pet acaba ficando o dia inteiro sozinho no apartamento ou em casa, por isso, é essencial que o tutor crie uma rotina de passeios para ajudar a aliviar um possível estresse do companheiro”, ressalta.  

Veja também

Vacinação de crianças com 3 anos movimenta postos de imunização no Recife deste domingo (14)
Recife

Vacinação de crianças com 3 anos movimenta postos de imunização no Recife deste domingo (14)

Homem de 33 anos é morto a tiros em Itapissuma; suspeito do crime é guarda municipal
Região Metropolitana do Recife

Homem de 33 anos é morto a tiros em Itapissuma; suspeito do crime é guarda municipal