Bem longe dos ovos de Páscoa! Chocolate é tóxico e pode até matar pets

Com a tradicional entrega de chocolate da época, é necessário ficar em alerta

Cachorro com ovo de Páscoa - Canva

Leia Também

• Cães da telinha: saiba quais são as raças de cachorros de filmes

• Faz bem dividir a cama com pets? Conheça os prós e contras

Sabe aquele cãozinho ou gatinho que tende a gostar de comida de gente? Na Páscoa, a atenção com eles precisa ser redobrada. Pois o chocolate, item quase indispensável da época, tem uma substância que é extremamente tóxica para os pets: a teobromina. Em caso de ingestão do alimento, há riscos de sérios problemas de saúde que podem evoluir até para a morte

Os primeiros sintomas de intoxicação por teobromina apresentados são diarreia e vômitosOs primeiros sintomas de intoxicação por teobromina apresentados são diarreia e vômitos

 "Quando o pet fica com aquela carinha de pidão, a gente, às vezes,sente um uma certa pena e diz ‘eu vou dar só um pedacinho’. Não pode! Nenhum pedacinho você pode dar ao seu animalzinho porque isso pode causar, infelizmente, o óbito do animal”, reforça a veterinária Amanda Santos, da Secretaria dos Direitos dos Animais do Recife (Seda). 

Sintomas

Diferentemente dos humanos, o metabolismo dos cães e gatos não quebra ou elimina a teobromina. Por isso, a substância pode se acumular no corpo do animal, o que pode levar a uma série de sintomas, como vômitos, diarreia, tremores, aumento da frequência cardíaca, convulsões e, em casos graves, morte. 

A quantidade de teobromina que pode ser tóxica para um animal varia de acordo com seu tamanho e peso, bem como com a quantidade e o tipo de chocolate consumido. Por isso, é importante sempre manter o chocolate e outros produtos a base de cacau fora do alcance dos animais de estimação.

Emergência

Assim que perceber que o pet consumiu o chocolate ou apresentou algum sintoma, o tutor precisa levá-lo ao veterinário com urgência. Nenhum procedimento caseiro pode ajudar na desintoxicação do animal. Muito pelo contrário, a ingestão de mais alimento, leite, algum tipo de medicamento ou até mais água que o normal, podem complicar ainda mais a situação.

“Independentemente da quantidade que ele tenha ingerido, é preciso levá-lo o mais rapidamente possível ao médico veterinário, porque, mesmo que ele não esteja apresentando nenhum sintoma, essa toxina pode estar no organismo”, explica a veterinária.


De acordo com a profissional, identificar qual chocolate foi consumido e a quantidade pode ajudar no tratamento.

"A primeira informação é: qual foi o tipo de chocolate? Qual a quantidade ingerida? Então, qualquer intervenção que a pessoa possa fazer em casa pode dificultar o tratamento adequado realizado pelo médico veterinário”, continua.


O Hospital Veterinário do Recife é uma das unidades especializadas no atendimento. Nesta Sexta-feira da Paixão, o equipamento funciona das 7h às 13h, para urgências, e fica fechado no sábado e no domingo, voltando apenas na segunda-feira com o expediente normal, das 7h às 18h.

Opções

Para quem não quer que seu pet “sofra” por não comer chocolate, há opções específicas no mercado pet. Comer uma guloseima diferente pode fazer o cão ou o gato se sentir incluído na celebração. Em lojas especializadas, é possível encontrar esse tipo de produto, com sabores atrativos ao paladar do animal, como carne e frango.

São alternativas seguras e nutritivas, pois, apesar da aparência semelhante ao chocolate, não tem cafeína e teobromina, as duas substâncias tóxicas para os animais. Além disso, são ricas em fibras e contêm diversas vitaminas e minerais.

Veja também

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - EDITAL

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - EDITAL

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - BALANÇO

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - BALANÇO

Newsletter