Gata diagnosticada com coronavírus felino em Pernambuco precisa de tratamento que custa R$ 15 mil

Peritonite Infecciosa Felina(PIF) é causada por uma variante mutante do Coronavírus Entérico Felino

Nara, gata diagnosticada com Pif - Cortesia

Leia Também

• Resgatado da rua após temporal no fim de março, cachorro se assusta com fogos e foge de casa 

• Seu pet é obeso? Saiba como prevenir e lidar com o excesso de peso em cães e gatos

Adotada no início de abril, a gatinha Nara passou poucos meses com sua tutora antes de começar a apresentar sinais de doença. Na última quinta-feira (30), ela foi diagnosticada com Peritonite Infecciosa Felina (Pif), que é causada por uma variante mutante do Coronavírus Entérico Felino. Até 2020, a doença não tinha cura. Hoje, com os avanços da farmacologia, existe tratamento, não comercializado no Brasil, que custa aproximadamente R$ 15 mil.

Nara, gatinha com Pif

O medicamento GS-441524, ainda não comercializado no Brasil, apresenta sucesso de 85% a 90% de cura da doença. Por sua compra ser feita em dólar, o custo total do tratamento chega a $2.800 USD (aproximadamente R$ 15 mil). Para conseguir tratar Nara, a família da gatinha, que mora no bairro da Madalena, na Zona Oeste do Recife, está recolhendo doações por meio do pix: [email protected] 

Sua tutora, Carolina Gomes Pugliesi Branco, de 24 anos, informou que não abriu uma Vakinha por conta da porcentagem que o site retém. "Nessas condições, cada centavo conta", justifica. Além de doações, será realizada uma rifa no perfil do instagram criado para a arrecadação de dinheiro que deve custear o tratamento de Nara (@naracontraapif). 

Gata diagnosticada com Pif


Diagnóstico

A doença se manifesta por meio de um quadro inflamatório que pode evoluir para o acúmulo de líquido nas regiões do tórax e do abdômen. Outra forma de se apresentar é na perda de função de órgãos abdominais, graças à formação de granulomas inflamatórios. 

Para o tutor, a doença se apresenta em forma de febre intensa, falta de resposta a tratamento via antibiótico, falta de apetite, queda de pelos, inflamação nos olhos e icterícia (cor amarelada da pele e dos olhos). 

"Ela sempre foi muito quietinha, daí a gente decidiu investigar e descobriu a Pif... A irmã de Nara tinha falecido com Pif, que tem tendências genéticas que casavam muito com o comportamento e os sintomas que ela estava apresentando", informou sua tutora. 

Carolina tinha acabado de perder uma gata por complicações após a castração, no início do ano. Por isso, o medo de perder um outro pet num intervalo de tempo tão curto desencadeou crises de ansiedade. "Senti um pânico tremendo, eu comecei a chorar muito, comecei a ter crises de ansiedade, porque só me remetia ao dia em que perdi Gal (gata que faleceu no início do ano)", informou Carol. 

No Brasil, a Pif é remediada para que o animal fique estabilizado: fluidoterapia, apoio nutricional, remoção do líquido torácico (toracocentese) e abdominal (abdominocentese) podem ser adotados durante o tratamento. 

"É muito triste que não tenha nenhum medicamento aqui no Brasil, porque a maioria dos tutores opta pela eutanásia, exatamente por não ter condições de arcar com a medicação. Eu estou na luta, não vou desistir dela (Nara)", contou Carolina. 

Transmissão

É importante salientar que o coronavírus felino não acomete pessoas. Embora a doença também seja causada por um coronavírus, ele não é transmissível para humanos. Já a transmissão de um animal doente para o outro é comum. Ela acontece por meio de mordidas de um gato doente em um saudável. E, em alguns casos, o felino contrai o coronavírus ao ter contato com o ambiente contaminado e até mesmo por usar uma caixa de areia que também foi usada por um pet doente.

Isso é possível pelo fato de o vírus ser eliminado pelas fezes, pois, após a infecção, o microrganismo se replica no epitélio intestinal. 

Em alguns animais, o vírus evolui para a Pif, em outros, não. A mudança se dá por fator genético e/ou até por baixa imunidade do animal. Se o coronavírus entérico, geralmente abrigado no intestino de gatos, sofre uma mutação, as proteínas de superfície do vírus são alteradas e ele passa a se espalhar pelo corpo, gerando a Pif.  

Veja também

Perícia usou DNA para identificar parte das vítimas da tragédia de Petrópolis
Petrópolis

Perícia usou DNA para identificar parte das vítimas da tragédia de Petrópolis

Com ampliação para crianças a partir dos 3 anos, vacinação contra Covid movimenta postos do Recife
Recife

Com ampliação para crianças a partir dos 3 anos, vacinação contra Covid movimenta postos do Recife