Mike Ratoeira: conheça a história do cão que fugiu para reencontrar sua primeira família no Recife

O cãozinho se chamava Galego e havia sido acolhido pela segunda tutora há cerca de dois meses

Mike Ratoeira: conheça a história do cão que fugiu para reencontrar sua primeira família em Setúbal, no Recife - Cortesia

Leia Também

• Gato protagoniza primeiro vídeo transmitido de fora do planeta Terra

• Gato que acertou título da Copa do Brasil prevê Mega da Virada 

Na última quarta-feira (20), um cãozinho, até então conhecido como Galego, estava sendo procurado em Setúbal,  bairro da Zona Sul do Recife. Publicações no @coletivosetubaloficial divulgavam a busca do pet, que havia fugido da casa da tutora que o resgatou há cerca de dois meses. Contudo, ele não foi para qualquer lugar, e sim em busca da sua primeira família tutora. 

Acontece que o pequeno Galego era, na verdade, Mike Ratoeira, e fazia parte de uma família que vive em uma comunidade chamada de Rio Azul,  a 1,5 quilômetro do novo lar em que havia sido adotado. Apesar da distância, Mike Ratoeira conseguiu lembrar do endereço certo e reencontrou seus primeiros cuidadores. 

Segundo Daniel Uchôa, administrador do perfil do Coletivo Setúbal Oficial no Instagram, pouco tempo após o anúncio do sumiço algumas pessoas entraram em contato. 

"Fizemos uma arte de divulgação, e as pessoas começaram já dar o feedback dizendo que viram Galego perto da comunidade Rio Azul, que fica cerca de um quilômetro de distância de onde ele fugiu. Pouco tempo depois a gente recebeu uma mensagem de alguém que viu a arte e disse: 'mas esse cachorro aí é meu, ele fugiu há dois meses!'. Foi aí que a gente começou a ver a hipótese, a possibilidade, dele ter tido um lar anterior a esse de onde ele morava naquele momento", explicou Daniel. 

O pet realmente tinha uma casa anterior, mas por viver com acesso livre à rua, Mike Ratoeira se afastou muito de casa, e sua segunda tutora pensou estar resgatando um animal abandonado quando o levou para casa e rebatizou-o de Galego. 

A primeira família já estava desacreditada do retorno e achava que Mike Ratoeira tinha morrido na rua. Contudo, ele voltou não só para sua família, mas também para uma "esposa" cadela e um filhotinho do casal, de acordo com Daniel Uchôa. 

"Ele voltou sozinho, por conta própria, foi lá para a casa dele, bateu no portão, e o pessoal abriu. O pessoal ficou sem acreditar, né? O povo achava que ele tinha morrido", relatou. 

A página do Coletivo Setúbal Oficial tem um histórico de reencontro de pets com seus tutores. Segundo o administrador do perfil, todos os casos do bairro contam com muita interação e dedicação dos seguidores para encontrar o animal perdido. 

Outro caso recente foi a busca por Duke, um cãozinho desaparecido no começo do mês. Apesar de ter desaparecido em Setúbal, o pet foi encontrado por uma seguidora do perfil nas proximidades do Shopping Riomar, no Pina. 

"Uma mulher que estava próxima ao shopping RioMar, que fica a quase dez quilômetros de distância, tinha acabado de ver um cachorro igual ao da da postagem ,e ele correu pra debaixo de um carro que estava estacionado. Ela parou, pegou o cachorro e confirmou que era Duque. Após isso ela chamou o tutor, que foi lá resgatá-lo. E aí Duque voltou pra casa. Então, a gente fica muito feliz de saber que as pessoas se mobilizam para ajudar nesses casos" contou Daniel. 
 

Assista ao encontro: 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Folha de Pernambuco (@folhape)

 

Veja também

Justiça francesa condena filho de líder histórico do ETA, mas o isenta de cumprir pena
frança

Justiça francesa condena filho de líder histórico do ETA, mas o isenta de cumprir pena

Antonio Calloni, o Belarmino de "Renascer", anuncia saída da Globo
Famosos

Antonio Calloni, o Belarmino de "Renascer", anuncia saída da Globo

Newsletter