Olinda faz vacinação antirrábica porta a porta em cães e gatos nesta quarta e quinta

A raiva é uma zoonose (doença que pode ser transmitida de animais para seres humanos) grave, que afeta o sistema nervoso central e mata em quase 100% dos casos, tanto as pessoas quanto os animais. - Divulgação

Nesta quarta (25) e quinta-feira (26), os agentes de controle de endemias do Centro de Vigilância Ambiental de Olinda (Cevao) darão continuidade à campanha de vacinação antirrábica para cães e gatos do município. A partir das 8h, serão iniciadas visitas porta a porta nos bairros de Jardim Atlântico, Fragoso e IV Etapa de Rio Doce. 

Em Jardim Atlântico, os agentes irão percorrer pela Avenida Fagundes Varela, nas imediações da Pizzaria Atlântico. Em Jardim Fragoso, seguirão pela Rua da Integração, próximo ao terminal da PE-15, e nas proximidades da Facho. Já em Rio Doce, passarão na comunidade CSU, ruas 38, Jardim Rio Doce e Belo Horizonte.

Entre cães e gatos, o município já imunizou mais de 14.400 animais na campanha deste ano. Aqueles que não receberem a visita domiciliar poderão fazer a vacinação no Cevao, que fica na Rodovia PE-15, s/n (Km 12), Cidade Tabajara. O local fica aberto ao público de segunda a sexta-feira, em horário comercial. 

Recife
No Recife, as ações de imunização estão sendo distribuídas pelos distritos sanitários. No último (21), foram feitas visitas porta a porta nos bairros da Macaxeira e Apipucos. Durante toda esta semana, 14 pontos estão distribuídos em bairros das proximidades para atender àqueles que não receberam a visita domiciliar. Esses locais funcionarão até sexta-feira (27), sempre das 8h às 17h. 

Fonte: Prefeitura do Recife 

A campanha de imunização de cães e gatos contra a raiva, no Recife, começou no dia 24 de outubro e tem previsão de encerrar no início de dezembro. 

Doença
A raiva é uma zoonose (doença que pode ser transmitida de animais para seres humanos) grave, que afeta o sistema nervoso central e mata em quase 100% dos casos, tanto as pessoas quanto os animais. A doença viral e infecciosa pode ser transmitida pela penetração do vírus contido na saliva do animal infectado, principalmente pela mordida, lambida ou arranhão. Os cachorros com raiva costumam ficar agressivos ou tristonhos, com salivação excessiva, dificuldade para engolir, latido rouco e paralisia das patas traseiras. 

A campanha de vacinação antirrábica é garantida pelo Sistema Único de Saúde porque o objetivo é atingir o ciclo humano. No Recife, o último ano em que foram registrados casos de raiva em um animal doméstico (gato) e em um humano foi 2017. Em 2018 e 2019, apenas quatro ocorrências foram detectadas, todas em morcegos. 

Números 
Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE), o último caso da doença em humanos, transmitido por cão, em Pernambuco, foi no ano de 2006; e, em 2017, por gato, que deve ter entrado em contato com um morcego contaminado. 
 
De 2017 até 2020, foram registrados, em Pernambuco, mais de 40 casos de raiva, sendo 86% das ocorrências em animais silvestres, por isso as áreas rurais são prioridade nas campanhas de imunização.

Em 2017, foram 13 casos, sendo 12 em animais e um em humano. No ano seguinte, foram 12 ocorrências, todas envolvendo animais, assim como em 2019, quando aconteceram 16 casos.

Neste ano, até o momento, foram registrados três casos de raiva no Estado, todos em animais, nos municípios de Verdejante e São José do Egito, localizados no Sertão pernambucano, e Olinda. 

Veja também

Fiocruz negocia mais 15 milhões de doses de vacina da AstraZeneca
Coronavírus

Fiocruz negocia mais 15 milhões de doses de vacina da AstraZeneca

EUA supera 25 milhões de casos de Covid-19
Coronavírus

EUA supera 25 milhões de casos de Covid-19