Quando a coceira do pet fica intensa, é preciso investigar; conheça algumas causas

Pulgas, produtos de limpeza, ressecamento da pele e até estresse podem estar por trás do incômodo

Falta de estímulos para distração pode gerar coceira por estresse nos felinos - Pexels

Na maioria das vezes, a coceira dos pets não é algo que causa preocupação nos tutores. Assim como os humanos, uma coçadinha aqui e ali vez ou outra faz parte do dia a dia. 

Porém, quando essa coceira começa a ocorrer de forma intensa e contínua, o alerta deve ser ativado. Ainda mais se os focos do coça-coça apresentam sinais de irritação. 

Segundo a veterinária da DrogaVET Alessandra Farias, a constância desse comportamento pode indicar que algo não está no curso normal. Entre os fatores mais recorrentes estão as alergias, que acabam comprometendo o bem-estar do animal. 

“Os tipos de alergia mais comuns que acometem os pets são a dermatite alérgica por picada de pulga, por alergia alimentar e por atopia. Trata-se de uma reação exacerbada do organismo do cachorro a alguma substância ou ao próprio ambiente, no caso da atópica, e, assim como nós, humanos, cada pet reage de um jeito a cada tipo de substância. Então, quando o coça-coça se torna mais intenso, é importante investigar” orienta a veterinária.

Cachorro se coçando Foto: Pexels


As causas das alergias em pets são inúmeras. Segundo a profissional, até mesmo os pets que tomam banho semanalmente e fazem uso do secador podem desenvolver alergia por terem predisposição ao ressecamento da pele, por exemplo. O contato com algumas espécies de plantas também pode manifestar prurido. 

Gato se coçandoFoto: Pixabay

“Outro fator preponderante é o estresse. Os cães necessitam de passeios e brincadeiras, já os felinos necessitam de um ambiente rico em distrações, com caixas e obstáculos, por exemplo. A ausência desses momentos de descompressão pode dar origem a alergias e até automutilações”, alerta a Alessandra.

“As alergias, normalmente, são multifatoriais e necessitam de exames clínicos, laboratoriais e acompanhamento médico de médio a longo prazo, para que se possa analisar o contexto e o histórico do paciente, objetivando o tratamento mais compatível ao caso”, complementa.

Cão lambendo a pataFoto: Pexels


Condições clínicas que também têm a coceira excessiva entre os sintomas são a sarna, provocada por ácaros, com prurido e queda de pelos nas regiões dos olhos, boca e patas; além de fungos e infecções.

Ao sinal de coceira ininterrupta e lambedura constante do pet nas patas ou outras regiões corpo, o tutor deve procurar o médico veterinário de confiança para identificar a origem por trás do problema e iniciar o tratamento. 

 

Veja também

Após pressão de usuários, Twitter anuncia novo recurso para combater Fake News no Brasil
FAKE NEWS

Após pressão de usuários, Twitter anuncia novo recurso para combater Fake News no Brasil

Chile anuncia mudanças no isolamento e gestão da pandemia por variante ômicronVariante ômicron

Chile anuncia mudanças no isolamento e gestão da pandemia por variante ômicron