Alepe está disposta a fazer sessão extraordinária, mas Governo não deve antecipar fim das faixas salariais

Governadora disse que projeto deve ser enviado até junho de 2024. Deputados querem antecipar

Governadora Raquel Lyra e o presidente da Alepe, deputado Álvaro Porto - Foto: Lucas Patrício/Divulgação

O fim das faixas salariais na Polícia Militar, que não chegou a ser citado pela governadora Raquel Lyra (PSDB) quando as diretrizes do Juntos pela Segurança foram apresentadas, em julho, foi uma das promessas de campanha destaque entre os anúncios de ontem. A gestora assegurou enviar projeto de lei à Assembleia Legislativa até junho de 2024 e concluir o processo até dezembro de 2026.

"À medida que você reduz as faixas, aumenta o valor do custeio dos salários. Não anunciaria se eu não tivesse hoje a firmeza de que a gente consegue manter os índices de pessoal, devolvendo à Polícia Militar o princípio da hierarquia tão fundamental na disciplina e no trabalho que esses bravos policiais prestam a nossa sociedade."

Criadas em 2017, as faixas têm sido um entrave entre o governo e os policiais. A Alepe sinaliza estar mobilizada para pressionar o Executivo a enviar o projeto ainda este ano para análise e votação em sessão extraordinária.

Em discurso na tribuna, o deputado Joel da Harpa apelou à governadora que envie a matéria em caráter de urgência. Pediu ao presidente da Casa, Álvaro Porto, que converse com os líderes de partido sobre a disposição de agilizar a apreciação.

"Concordo plenamente com sua proposta e tenho certeza de que os deputados não vão se opor. Se o Governo mandar esse projeto, os deputados não vão fazer questão de votar em reunião extraordinária", corroborou Álvaro Porto.  

Para o deputado Alberto Feitosa, não é necessário projeto de lei. Basta que a Casa aprove sua Proposta de Emenda Constitucional em tramitação. A Mesa Diretora também incluiu na Lei Orçamentária Anual emenda de R$ 115 milhões para cobrir despesas que virão com o fim das faixas.

A possibilidade de a governadora atender a esse apelo e antecipar o envio do projeto de lei está praticamente descartada. A verba para a mudança, não divulgada, estaria milimetricamente programada. O Estado não planeja rever. O plano total tem R$ 1 bilhão assegurado.

 

Sem flores e com aplausos
stremecido com o Executivo, o presidente da Alepe, Álvaro Porto, chegou atrasado ao Juntos pela Segurança. Cumprimentou a governadora, sentou-se ao seu lado e foi a gestora quem quebrou o silêncio. Em poucas palavras. Ele fez o discurso mais aplaudido. "Para enfrentar bandidos, policiais não podem ir com buquê de flores", registrou, cobrando apoio às Polícias.

PODER > De hoje até o dia 4, Priscila Krause é a governadora de Pernambuco. O cargo será repassado à tarde por Raquel Lyra, única gestora do Nordeste na comitiva do presidente Lula para Dubai. Participa da COP-28, conferência sobre mudanças climáticas.

DESTAQUE > A prefeita de Camaragibe, Nadegi Queiroz, representou a Amupe no Juntos pela Segurança. Mas quem falou pelos prefeitos foi o gestor de Jaboatão, Mano Medeiros (PL). "É importante estarmos juntos, de mãos dadas com a governadora."

POTENCIAL > A TV Pernambuco vai passar por rearrumação. Com valorização de parte dos 100 funcionários e investimento em equipamentos. A ideia, segundo o diretor-presidente, Fúlvio Wagner, é que no Carnaval 2024 a emissora sinalize estar viva.

Veja também

BC continuará sempre perseguindo inflação de 3%, reitera diretor de Política Econômica
BRASIL

BC continuará sempre perseguindo inflação de 3%, reitera diretor de Política Econômica

EUA e UE preparam novas sanções contra Rússia, por guerra da Ucrânia e morte de Navalny
GUERRA CONTRA UCRÂNIA

EUA e UE preparam novas sanções contra Rússia, por guerra da Ucrânia e morte de Navalny