Danilo Cabral entra no circuito, em meio à crise , em solidariedade a Freixo

Estresse no Rio "não ameaça, mas compromete" arranjo em Pernambuco, dizem aliados do PSB

Danilo Cabral se manifestou em sua rede social em tom de pressão - Melissa Fernandes

Integrantes das cúpulas do PT e do PSB vinham repisando que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Leia-se: que o imbróglio vigente na aliança do PT com o PSB no Rio de Janeiro não acarretaria prejuízos ao arranjo entre as duas siglas em Pernambuco. O detalhe é que com a corda esticada internamente no PSB em relação à manutenção da pré-candidatura de Alessandro Molon ao Senado e com o PT cobrando cumprimento de acordo, quem entrou no circuito em solidariedade a Marcelo Freixo, pré-candidato ao Palácio da Guanabara, foi o também pré-candidato do PSB a governador, Danilo Cabral.

Em sua rede social, o socialista, em tom de cobrança e em concordância com o PT, assinalou o seguinte:

"O PSB fez uma aliança nacional com o PT. Os compromissos firmados devem ser cumpridos em todos os estados. No Rio de Janeiro, coube ao PSB indicar o candidato a governador, @MarceloFreixo . E cabe ao PT indicar o senador. Acordo é para ser cumprido!".

No Rio, o deputado federal Alessandro Molon, do PSB, vinha numa disputa com o presidente da Assembleia Legislativa daquele Estado, André Ceciliano, do PT, pela vaga do Senado na chapa encabeçada por Freixo. O detalhe é que Molon preside o partido no Estado e, nas hostes socialistas, a posição que vinha prevalecendo era a de deixar o tema nas mãos dele.

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, chegou a verbalizar isso. Em outras palavras, deixara claro que ninguém retiraria candidatura de Molon, inclusive porque a entrada de Freixo na sigla se dera com a benção do dirigente estadual. Diante da iminência de rompimento com o PT, no entanto, nesta quarta-feira (27), Siqueira avisou que a disputa entre Ceciliano e Molon será resolvida "no convencimento".

Danilo Cabral chegou a trocar telefonema com Freixo. E o tom entre socialistas e aliados em relação à eventual retaliação do PT com o PSB mudou um pouco. Nos bastidores, se passou a avaliar que o contexto do Rio "não ameaça Pernambuco, mas compromete". Passou a prevalecer, em conversas reservadas, um entendimento de que uma quebra de acordo, lá, poderia "abrir brecha, precedente". Daí, o movimento do próprio Danilo em solidariedade a Freixo num momento em que socialistas apostam que Molon será rifado.

Insatisfação no ninho socialista
Com a convenção nacional do PSB marcada para esta sexta-feira, petistas e socialistas aguardam que o imbróglio no Rio esteja resolvido até lá. O assunto foi tema do almoço, inclusive, na casa de Danilo Cabral, durante a passagem de Lula por Pernambuco. Nas coxias do PSB, se avalia que o único caminho para Carlos Siqueira é rifar Molon, sob pena de contrariar a maioria da sigla.

Recíproca > Vice-presidente nacional do PT e um dos coordenadores da pré-campanha de Lula, o deMarcio Macedo, à coluna, já havia descartado que a questão do Rio respingasse em Pernambuco. Nesta terça (27), diante do quadro indefinido, ele ponderou: "Essa é uma decisão que cabe ao PSB. O que cabe a nós, já fizemos, que é apoiar o candidato do PSB a govenador".

No aguardo - Márcio prossegue: "Da nossa parte, uma coisa não tem nada a ver com a outra. Nós cumprimos nosso acordo em Pernambuco com Danilo Cabral e cumprimos no Rio de Janeiro. O que estamos esperando é uma posição do PSB". O dirigente adverte o seguinte: "Tem um prazo legal, que são as convenções".

Benção > O adiamento do anúncio de Carlos Andrade Lima para integrar a vaga do Senado na chapa de Miguel Coelho teria como pano de fundo a intenção do conjunto de que o martelo seja batido na presença de Luciano Bivar, presidente nacional do União Brasil, que deve chegar ao Recife ainda nesta quinta (28).

Veja também

Após início da nova etapa de triplicação, motoristas enfrentam trânsito intenso na BR-232
Recife

Após início da nova etapa de triplicação, motoristas enfrentam trânsito intenso na BR-232

Perícia usou DNA para identificar parte das vítimas da tragédia de Petrópolis
Petrópolis

Perícia usou DNA para identificar parte das vítimas da tragédia de Petrópolis