Habeas corpus de Junior Matuto é distribuído para Rogerio Schietti

Júnior Matuto - Divulgação

Integrante da sexta turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o ministro Rogerio Schietti Cruz será o relator do habeas corpus impetrado pelo prefeito afastado de Paulista, Júnior Matuto, na última segunda-feira. A distribuição, via sorteio, se deu ontem. Através da petição, Matuto tenta uma liminar para retornar ao cargo de prefeito. Caberá ao ministro Rogerio Schietti, considerado um dos mais rigorosos do STJ, analisar o pedido do socialista. Matuto está sendo representado, no STJ, pela advogada paranaense Yasmin Brehmer Handar. Na manhã de ontem, o STJ havia negado pedido de suspensão de liminar e sentença feito por Matuto também com o objetivo de retornar ao comando da Prefeitura de Paulista. Com isso, o habeas corpus preventivo configura a última alternativa do socialista para reverter a volta de Jorge Carreiro ao comando da administração municipal.

O afastamento de Matuto foi determinado pelo  presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, na última quinta-feira. No dia seguinte, o vice, Jorge Carreiro, tomou posse, em solenidade na Câmara de Vereadores, como prefeito da cidade. Esse afastamento de Matuto, no entanto, já foi o segundo. Na primeira vez, ainda em 21 de julho, o socialista fora afastado por decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), a pedido da Polícia Civil (Dracco), que desencadeou uma operação por supostos atos de corrupção na gestão municipal. Mas, em agosto, o ministro Dias Toffoli, do STF, havia deferido liminar suspendendo afastamento de Matuto, que retornou ao cargo no dia 10 de agosto. À coluna, Matuto, na ocasião, assegurou que, até então, não tinha qualquer aresta com o vice-prefeito. E afirmou que Carreiro "só tinha um empecilho para não gostar dele: 'porque não foi escolhido para ser meu candidato a prefeito'". A movimentação pode interferir no jogo eleitoral na cidade. Mais uma vez, Carreiro decidiu exonerar cargos comissionados.

Quem és na...
O prefeiturável João Campos exibiu inserção em que se refere a quem “gosta de ser do contra": ­"Tem gente que parece que gosta de ser do contra, né?! Contra isso, contra aquilo, contra tudo que está aí". Resultado: o deputado Daniel Coelho, que apoia Patrícia Domingos, reagiu, afirmando que o socialista "parte para o ataque contra o nosso time em seu programa de TV" e que João "ignora" Marília Arraes e Mendonça Filho. Nos bastidores da campanha de João, houve quem indagasse: "João não cita nomes. A carapuça serviu?".

...fila do pão?>  A referida propaganda mostra o personagem com um saco de pão na cabeça, estampado com desenho de uma face carrancuda, João prossegue: "Não adianta só mostrar problemas, que todo mundo conhece. Tem que apresentar as soluções, como fazer para que aconteçam, porque falar é muito fácil".

B.O. > Patrícia Domingos registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Boa Viagem na última segunda. O BO, de Nº 20E0097009021, foi feito depois que ela apareceu entre os inscritos do  “Minha Casa, Minha Vida”, no Rio de Janeiro, Patrícia relata que,  em 2018, “já residia no Recife e atuava como delegada de polícia”, “não tendo se habilitado a nenhum programa social, nem no Rio de Janeiro e nem em qualquer outro estado da Federação”. Aponta utilização indevida e criminosa dos dados".

Dupla função > A palavra de ordem, agora, na campanha 
de Marília Arraes, é intensificar a presença nas ruas. Ontem, ela recebeu apoio do Sindicato dos Rodoviários, no dia em que a Câmara de Vereadores aprovou o projeto 05/2019, que proíbe a dupla função dos motoristas na Capital. Em nota, a Prefeitura do Recife informou que o prefeito Geraldo Julio irá sancionar o PLO.

Veja também

Ônibus de acidente com 41 mortes não tinha registro e estava ilegal desde 2019
acidente

Ônibus de acidente com 41 mortes não tinha registro e estava ilegal desde 2019

Jonatan Gómez destaca importância de pontuar fora de casa: 'ganhar confiança'
Sport

Jonatan Gómez destaca importância de pontuar fora de casa: 'ganhar confiança'