Houve mal-estar no Solidariedade, mas PCdoB levou outros "nãos"

Carlos Siqueira e Luciana Santos - Divulgação

O Solidariedade, liderado no Estado pelo deputado federal Augusto Coutinho, não passou recibo, mas restou um mal-estar nos bastidores depois que o PSB decidiu apoiar a candidatura de João Paulo à Prefeitura de Olinda, e não mais a do prefeito Professor Lupércio. A pessoas próximas, Coutinho tem repisado apenas que "cumpriu o acordo" feito com o PSB e que "honrou compromissos". Em outras palavras, o que ele tem externado, ainda nas entrelinhas é que o Solidariedade esperava uma recíproca. O detalhe é que o PCdoB, presidido nacionalmente, pela vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos, também aguardava o mesmo: recíproca.

O partido havia pedido apoio em cidades como Porto Alegre e Salvador, além de Olinda, e só levara negativas. Em função disso, segundo socialistas relatam nos bastidores, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, intercedeu junto à cúpula do partido em Pernambuco para viabilizar a aliança com o PCdoB na Marim dos Caetés. No Palácio das Princesas, se avaliou  que não tinha como dar um "não" à presidente nacional do PCdoB em cidade estratégica para sigla dela. Em 2018, Luciana foi fundamental e fez a interlocução com o PT nas articulações para que o PSB conquistasse o apoio dos petistas na corrida majoritária em Pernambuco, quando a candidatura de Marília Arraes terminou retirada do páreo. A importância de Olinda para o conjunto liderado por Luciana, que já governou a cidade, era como a do Recife para o PSB.

 

Todos por um
Mantendo o modelo das duas últimas eleições de Geraldo Julio e Paulo Câmara, não haverá um coordenador único da campanha de João Campos à Prefeitura do Recife. A depender do tema a ser tratado, nomes do PSB que já capitanearam outras disputas, a exemplo de Sileno Guedes e Antonio Figueira, podem ser acionados.

Ruído > Em Olinda, após impasse no PT local, a executiva nacional do partido decidiu pelo nome da vice-presidente da Fundação Perseu Abramo, Vivian Farias, para ocupar a vaga de vice deo candidato à prefeitura da cidade, João Paulo. Petistas reagiram, nas coxias, dizendo que "não foi indicação porque o posto não estava vago".

Pano de...> Em meio ao imbróglio do PT em Limoeiro, a deputada estadual  e cordenadora da campanha de Marília Arraes, Teresa Leitão, registra, à coluna, que "há uma dissidência pública" no município e que, se não fosse isso, Marília não teria gravado vídeo em favor do candidato do Podemos.

...fundo > "A dissidência pública é formada por Fernando Melo, ex-pesidente do PT de Limoeiro, ex-vereador da cidade e atual presidente do Sintepe, a maior liderança de esquerda da cidade de Limoeiro, respeitadíssimo", destaca Teresa, lembrando que ele sempre militou ao lado de Orlando Jorge, candidato do Podemos na cidade, onde o PT apoia Joãozinho, do PSB.

Benção > Como não havia conseguido participar do almoço de aniversário de Jarbas Vasconcelos, João Campos tratou de ir, ontem, à mesa com o senador. Por lá, estavam: André Campos, o secretário de Segurança Urbana, Murilo Cavalcanti, Fernado Dueire...

Temáticas > A partir de agora, Patrícia Domingos irá apresentar uma proposta a cada agenda de campanha. Ontem, no Barrro, focou no transporte público, tratando da segurança das mulheres que utilizam ônibus. Ela se comprometeu a tirar o Recife do consórcio e fazer nova licitação. Hoje, em Passarinho, região limite entre Recife e Olinda, vai abordar o abandono da área de divisa, a qual prefeitos acabam deixando uns para os outros e a população paga a conta.