João Campos e Danilo Cabral vão à mesa com Marcelo Freixo em Brasília

Almoço se dá em meio a movimento no PSB para rifar Molon em prol da manutenção de acordo com o PT

João Campos, Marcelo Freixo e Danilo Cabral almoçaram juntos nesta quinta (28)

Um dia após o deputado federal Danilo Cabral entrar no circuito e cobrar que o acordo do PSB com o PT seja cumprido no Rio de Janeiro, ele, que é pré-candidato ao Governo de Pernambuco, foi à mesa com Marcelo Freixo, em Brasília, nesta quinta-feira (28). Do encontro, também participou o prefeito do Recife e vice-presidente nacional de Relações Institucionais do PSB, João Campos.

Os três almoçaram juntos no momento em que a temperatura esquentou nas relações entre o PT e o PSB, sobretudo no Rio de Janeiro e no Rio Grande do Sul, acendendo sinal amarelo na ala pernambucana. Pernambuco não só detém a hegemonia política na legenda nacionalmente como é a prioridade do partido na corrida eleitoral deste ano.

A união de Danilo e João nesse contexto é simbólica à medida que, no partido, se dá um movimento no sentido de rifar Alessandro Molon, pré-candidato ao Senado na chapa de Freixo. A pré-candidatura de Molon enfrenta resistências internas em função do acordo com o PT, que atua para emplacar André Ceciliano, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), na mesma vaga, sob pena, inclusive, de rompimento com os socialistas. Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira avisara, no dia anterior, que o assunto seria resolvido na base "do convencimento e do diálogo".

E, nas coxias do partido, tomou volume, nesta quinta (28), uma expectativa por uma reação de Molon. Se não verbalizou que recuaria, Molon, que preside o partido no Rio, também não compareceu à reunião da Executiva Nacional, nesta quinta (28), destinada a tratar do fundo partidário. Se valem os gestos na política, esse do dirigente estadual falou alto aos olhos de correligionários.

Não é a primeira vez que Danilo e Molon protagonizam impasse no PSB. Em 2021, outro imbróglio se deu com disputa pela liderança do partido. A bancada rachou e tanto Molon como Danilo recolheram assinaturas para serem alçados à condição de líder. Foi numa reunião com Siqueira que os dois fumaram o cachimbo da paz e Molon acabou assumindo a liderança da Oposição, o que acalmou os ânimos. Agora, Danilo entra em campo junto com João para demarcar posição e, mais uma vez, ele e Molon estão em trincheiras opostas.

 

Danilo x Molon
Ainda em 2021, coube a Danilo Cabral, na condição de líder, formalizar a indicação de Alessandro Molon para a vaga de líder da Oposição. Mas não sem que Carlos Siqueira tivesse que por panos mornos num guerra de listas interna. Na ocasião, Danilo e Molon concorriam à sucessão de Tadeu Alencar na liderança do partido. E Danilo chegou a recolher 17 assinaturas, configurando maioria da bancada, em seu favor. Em paralelo correra lista pró-Molon, que acabou liderando a Oposição.

Tesouraria > Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira almoçou, nesta quinta (28), em Brasília, com Márcio França. Pré-candidato ao Senado na chapa de Fernando Haddad em São Paulo, França é tesoureiro do PSB nacional. E, ontem, era dia de reunião da Executiva nacional para tratar de fundo partidário.

Deadline > A convenção nacional do PSB com as presenças de Lula e Geraldo Alckmin se dá nesta sexta (29), das 14h às 17h, no Hotel Meliá Brasil 21, em Brasília. Em pauta, a candidatura de Alckmin a vice-presidente na chapa encabeçada por Lula e a aprovação de coligações para as eleições presidenciais de 2022.

Veja também

Vacinação de crianças com 3 anos movimenta postos de imunização no Recife deste domingo (14)
Recife

Vacinação de crianças com 3 anos movimenta postos de imunização no Recife deste domingo (14)

Homem de 33 anos é morto a tiros em Itapissuma; suspeito do crime é guarda municipal
Região Metropolitana do Recife

Homem de 33 anos é morto a tiros em Itapissuma; suspeito do crime é guarda municipal