"Somos todos Siqueira", sinalizam socialistas às vésperas do Congresso

Divulgação

Não só a reunião do Diretório Nacional do PSB está batendo à porta - será no próximo dia 11 - como um dos itens da pauta é o XV Congresso Nacional do partido. O Congresso teria o objetivo de eleger nova direção da legenda ou renovar a atual. Presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira foi reconduzido em 2018. Leia-se: o Congresso, marcado originalmente para março de 2021, marcaria o encerramento dos três anos de mandato dele. Em função disso, já começaram a circular rumores nos bastidores de eventual mudança no comando nacional, em função também da rearrumação provocada pela eleição municipal. Em outras palavras, ganha eco, nas coxias do PSB e também na voz de aliados da sigla, uma hipótese de o prefeito do Recife, Geraldo Julio, também prestes a encerrar seu mandato, vir a comandar a legenda nacionalmente. Ontem, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, fez uma projeção sobre o futuro político do prefeito do Recife e citou, por mais de uma vez, o papel nacional que Geraldo pode assumir: "Geraldo vai continuar tendo um papel muito importante na Frente Popular, vai poder se dedicar mais ao PSB nacional". Sileno ainda acrescentou: "Como liderado dele, a gente torce que ele se incorpore a um papel que possa efetivamente ajudar na construção aqui em Pernambuco e no Brasil”.

Se uma ala, em conversas reservadas, aposta nas chances de Geraldo virar presidente nacional, outra argumenta que esse não seria o caminho ideal para o gestor, que deve começar a trabalhar um projeto majoritário para 2022. Desse conjunto, uma fonte, em reserva, sublinha à coluna: "Somos todos Carlos Siqueira de novo". Siqueira está à frente do partido desde 2014, ano que em o acidente aéreo vitimou o ex-governador Eduardo Campos. Conhecido pelo enfrentamento de questões delicadas sem que tenha figurado como parte do processo, caso da expulsão de 13 deputados, é também um nome que fica acima de questões regionais e que, sem planos eleitorais, não concorre com correligionários. O Congresso Nacional do PSB deve ser adiado, segundo entendimento interno já latente, para o final do ano que vem em função da pandemia da Covid-19. E é disso, entre outras coisas, que deve se ocupar a reunião do Diretório Nacional no próximo dia 11, já permeada pela sucessão.

Presidência do psb-pe no radar
Se correm especulações sobre Geraldo Julio assumir a presidência nacional do PSB, em paralelo, também há bolsa de apostas dando conta de que ele poderia substituir Sileno Guedes no comando da sigla no Estado. Motivo: seria uma forma de rodar Pernambuco e estar mais perto do cenário local, o que lhe daria musculatura para concorrer ao Governo do Estado em 2022.

Prorrogação > O último Congresso Estadual do PSB ocorreu em meados de 2017. O mandato também é de três anos. Este ano, em função da pandemia e da impossibilidade de cumprimento do calendário, a Resolução 005/2020 da Comissão Executiva Nacional definiu prorrogar os mandatos estaduais por mais um ano. 

Contraponto > levando em conta essa prorrogação, o mandato de Sileno Guedes estaria na iminência de vencer, o que reforça a tese de que o posto poderia também caber a Geraldo Julio. Há um contraponto sendo feito. Fala-se que a presidência estadual poderia acarretar desgaste por exigir o trato "do varejo", "do miúdo".

À mesa > O governador Paulo Câmara convocou reunião do secretariado para a noite de hoje.  O gestor deve reforçar pontos da agenda administrativa, tratar do próximo biênio, entre outros.

Veja também

EUA confiam plenamente em que Brasil terá eleições 'livres e justas'EUA e Brasil

EUA confiam plenamente em que Brasil terá eleições 'livres e justas'

Acordo México-EUA ressuscita política migratória da era TrumpEUA e México

Acordo México-EUA ressuscita política migratória da era Trump