Envelhecer bem: estratégias

Jacqueline Sherry Ward Maia - Jacqueline Sherry Ward Maia

Envelhecer é um processo natural e único, que se estende por toda a vida de uma pessoa, passando por transições, fases e transformações,que tem início na concepção e culmina com o final do ciclo da vida.

É muito importante a compreensão desse processo, que é permeado por diversas mudanças, como limitações físicas,cognitivas e doenças. Isto gera um certo nível de estresse, que algumas vezes foge do controle, por exigir readaptação e uma certa flexibilidade da pessoa que se encontra nessa fase tão particular. Cada pessoa traz suas individualidades e sua forma de encarar o envelhecimento, dentro do seu contexto.

Essas múltiplas mudanças trazem reações fisiológicas e emocionais como resultado da relação indivíduo-meio, da percepção que a pessoa tem dessa fase de sua vida e das estratégias que adota para melhor gerenciar os eventos difíceis associados com esta idade.

Mudanças como aposentadoria, limitações impostas por doenças, perdas afetivas e financeiras podem desencadear medo das incertezas, ansiedade, insônia, depressão, isolamento e outros. Alguns desses eventos são traumáticos, outros não, uns são controláveis, outros não. O importante é viver esse processo sem preconceitos, com otimismo e com um estilo de vida que vai promover bem-estar físico e mental.

Envelhecer de forma saudável, física e mentalmente, é um processo contínuo de reinvenção de si, de adaptação e significa encontrar novas estratégias para viver melhor esta fase, como por exemplo:

Praticar atividades físicas, individualmente ou em grupo, oferece acesso direto a uma rede de relacionamentos, além de promover o bem-estar.

Adotar uma alimentação balanceada e saudável.

Ter uma boa noite de sono, reduz o estresse e repõe as energias.

Fortalecer os laços afetivos é de suma importância, em especial as relações estabelecidas com os netos e familiares, que são uma rede de apoio emocional importante.

Fazer cursos de idiomas, de artesanato, fazer caça palavras, jogar xadrez ou damas, voltar a estudar, promovem a estimulação cognitiva de forma contínua.

Ser flexível, incorporando hábitos e adaptações a nova fase de vida para evitar acidentes, como quedas.

Ter pensamentos positivos em relação a vida e a nova fase em que se encontra.

Cultivar hobbies, como ir ao cinema, jardinagem, participar de clubes de leitura, de um coral, viajar, entre muitos outros.

Ter em casa um cantinho seu, onde possa ler um livro e ter um momento para si.

Plugar-se, conectar-se, informatizar-se. O mundo digital é uma fonte de atualização e informações infinitas além de oferecer uma forma de aproximação maior de filhos, parentes e amigos que estão distantes. As redes sociais promovem encontros e reencontros de pessoas de forma instantânea.

Esta fase não deve ser vista com pesar e sim como uma oportunidade para melhoramento, novas experiências e a possibilidades de realizar sonhos e projetos guardados. É um momento para trilhar novos caminhos e aproveitar que com mais tempo livre, você pode dedicar-se mais a si mesmo.

Autocuidado, autoestima e autorrealização são fundamentais para viver esse momento com mais qualidade e evitar medos que podem levar a ansiedade ou depressão.

Envelhecer bem e com saúde consiste em se preparar para viver esse processo que é um privilégio negado a muitos.

Jacqueline Sherry Ward Maia – Psicóloga Clínica CRP13/9924 – Pós-graduanda em Neuropsicologia e Problemas de Aprendizagem – Instagram: @psijacquelinemaia – E-mail: [email protected]

Veja também

Botafogo e Vasco disputam clássico carioca na Série B
Série B

Botafogo e Vasco disputam clássico carioca na Série B

Um brinde: 6 de agosto é Dia Internacional da Cerveja
Cerveja

Um brinde: 6 de agosto é Dia Internacional da Cerveja