Tambaú: força e sabor que vêm do sertão

Dedicação, padrão de qualidade, investimento em tecnologia, preservação do meio ambiente e responsabilidade com as entregas

Divulgação Tambaú

O empresário paraibano Gerson Gonçalves de Lima, nascido em uma família humilde do município de Prata, quase na divisa com Pernambuco, sempre sonhou em ser um industrial. Desde criança, observava fascinado as chaminés das fábricas com suas nuvens de fumaça e imaginava os grandes feitos que viria a realizar. Mais de meio século depois, seu sonho se transformou na Tambaú Alimentos, uma das mais fortes indústrias de doces, molhos e condimentos das regiões Norte e Nordeste.

Mas essa história de sucesso não aconteceu por acaso. Foi preciso muita garra, obstinação, coragem e, acima de tudo, muita fé, características que nunca faltaram ao paraibano. Ansioso para ganhar seu próprio dinheiro e com a energia que é própria daqueles que têm espírito empreendedor, Gerson começou a trabalhar cedo, aos 14 anos. Ele não queria perder tempo. Então, com a ajuda do pai, começou a fazer pirulitos em casa para vender nas ruas de Sertânia, cidade do sertão pernambucano que acolheu a família Gonçalves de Lima em meados da década de 1940.

Extremamente disciplinado e talentoso com os números, o jovem Gerson investia grande parte do que ganhava nas vendas em matéria-prima para a produção de novos pirulitos. O pai, admirado com a dedicação, deu a Gerson a ideia de fazer doces de frutas tropicais, já que havia muita produção de goiaba, banana e caju nas proximidades dos rios Moxotó e Pajeú. Pesquisaram o mercado, alugaram uma casa e compraram os equipamentos para iniciar a produção. Nascia a Goiabada Telma, embrião do que mais tarde se tornaria a Tambaú Alimentos.

Doce invenção

Conhecido pela sua inquietação e capacidade de inovar, Gerson não se limitou a um único produto. Assim, foi criando variações da goiabada e aumentando o portfólio da sua pequena fábrica. Com um novo sócio, levou o negócio para Campina Grande, na Paraíba, buscando as oportunidades de uma cidade maior. Mas logo viu que era no sertão que havia abundância da sua principal matéria-prima. Após três anos, desfez a sociedade, voltou para Pernambuco e se estabeleceu em Custódia. Era hora de recomeçar e o primeiro passo foi escolher um novo nome.

Gerson tinha três opções na cabeça e todas remetiam à sua terra natal. Ele queria honrar suas origens. Entre Borborema, Cariri e Tambaú, ele optou pelo último, em homenagem a uma das mais famosas praias paraibanas. Então, em 1962, a Tambaú Alimentos é oficialmente fundada, focada na produção dos doces de goiaba, banana e caju.

Cinco anos depois de ter sido inaugurada, uma enchente destruiu a fábrica. O empresário, em nenhum momento, se desesperou. Em meio ao caos, foi para casa, juntou os filhos e colocou uma música para tocar. Ele dizia que o que Deus tira, ele dá em abundância. Com sua fé inquestionável, recomeçou do zero e seguiu em frente.

Uma marca que tem sabor

Inicialmente, as vendas da Tambaú eram feitas para as cidades próximas de Custódia. Mas logo os produtos foram chegando no interior de estados como Piauí, Paraíba, Maranhão e Bahia. Conquistar as capitais e as grandes redes varejistas também foi uma questão de tempo. Quando a Tambaú fez 25 anos, em 1987, passou a produzir sua linha de atomatados com o lançamento do extrato, molhos de tomate e catchup, produto que mais tarde viria a se tornar seu carro-chefe de vendas.

Com uma estratégia baseada em três eixos principais, sendo eles dedicação, responsabilidade com as entregas e investimento em tecnologia, e com a ajuda dos três filhos, que desde cedo aprenderam a amar e respeitar o negócio do pai, Gerson continuou levando a Tambaú para o futuro. Em 2000, o empresário faleceu aos 67 anos, deixando para as futuras gerações um legado de solidez, coragem, determinação e esforço incomparáveis.

Constante evolução

Sob o comando dos irmãos Hugo, Iuri e Maura, filhos de Gerson, e com a terceira geração da família dando os primeiros passos no negócio, a Tambaú Alimentos continua em sua trajetória de crescimento e atualização constantes. Seu catálogo chega a agregar cerca de 120 itens diferentes, entre molhos, condimentos, doces e muitos outros. No moderno parque industrial, que continua instalado no município de Custódia, são produzidas seis mil toneladas de produtos por mês, gerando, na região, mais de 500 empregos diretos, além das oportunidades indiretas para mais de 500 pessoas.

Cerca de quatro mil clientes estão cadastrados na carteira da indústria, entre mercados, supermercados, atacados, distribuidores e food services, o que permite uma capilaridade significativa na entrega dos produtos, principalmente para as regiões Norte e Nordeste. Com a criação de uma transportadora própria, inaugurada no final de 2021, a empresa ampliou ainda mais a distribuição dos seus produtos, contando com uma frota inicial de 40 veículos, e mira novos mercados.

A preocupação com o suprimento de matéria-prima, uma das principais filosofias de negócio do seu fundador, faz com que a Tambaú esteja constantemente monitorando seus fornecedores e mantendo profissionais qualificados em suas instalações, como forma de garantir o padrão de qualidade que sempre foi sinônimo da marca. Prova disso é relação fiel e duradoura que os consumidores têm com a empresa, elevando o seu catchup, por seis anos consecutivos, a líder de consumo no Nordeste, segundo o ranking Cinco Mais da pesquisa Nielsen/Revista Super Varejo.

Legado na sustentabilidade 

O cuidado com as pessoas e a preservação do meio ambiente é uma preocupação muito antiga na Tambaú. É da época de dona Terezinha, esposa de Gerson Gonçalves, e que ajudava ativamente o marido no dia a dia da fábrica, sempre com um olhar atento e carinhoso com todos. Um cuidado constante da matriarca era evitar o desperdício. Procurava sempre formas de reutilizar tudo que sobrava, desde sacos de açúcar a vidros e embalagens.

Foi dela a iniciativa de comprar uma prensa para compactar os materiais que podiam ser vendidos para reutilização. Muitas das ações implementadas por ela na empresa são mantidas até hoje. E o exemplo da importância da sustentabilidade e do cuidado com o meio ambiente deixado por dona Terezinha é passado de geração em geração na gestão da Tambaú. Como resultado, apenas em 2020, cerca de 347 toneladas de resíduos sólidos e 200 toneladas de orgânicos foram reciclados na indústria

Além da reciclagem, a Tambaú também segue as instruções de dona Terezinha no consumo consciente da água. A empresa tem um circuito que capta o mínimo possível de água da natureza sem comprometer a segurança alimentar dos produtos. Através da utilização dessa ferramenta, a instituição conseguiu reduzir a média de consumo de 8,16m³/toneladas em 2009 para 2,48m³/toneladas em 2020.

Instaurar uma visão educativa e de longo prazo dentro e fora das suas instalações, para que todos se empenhem no cuidado com o meio ambiente e com as pessoas, é uma das principais missões da Tambaú Alimentos, que segue firme em seu propósito de continuar levando sabor, qualidade e tradição para a mesa dos brasileiros. 

Este conteúdo, disponibilizado publicamente em parceria com a Folha de Pernambuco, foi desenvolvido com exclusividade pela equipe da Editora Inspiração para o livro Inspiração Pernambuco, com breve lançamento para 2022.

Veja também

Publicidade Legal - 19 de Janeiro de 2022 - Editais e balanços

Publicidade Legal - 19 de Janeiro de 2022 - Editais e balanços

Derramamento de óleo atribuído à erupção no Pacífico atinge áreas de proteção no PeruDanos ambientais

Derramamento de óleo atribuído à erupção no Pacífico atinge áreas de proteção no Peru