Mozart Neves: A internet banda larga é o papel e o lápis do século XXI

Professor Mozart Neves Ramos - Arquivo Pessoal

Entrevistamos o educador Mozart Neves Ramos. Formado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em Engenharia Química, doutor pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pós-doutor pela Politécnica de Milão, na Itália. Já foi professor e reitor na UFPE, presidiu a Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), foi Secretário de Educação de Pernambuco, presidiu o movimento “Todos pela Educação”, Vice-Presidente do Instituto Ayrton Senna e é membro do Conselho Nacional de Educação.

O Papo foi de Primeira e trouxe uam visão sobre o papel do CNE (Conselho Nacional de Educação) durante a pandemia, que exerceu, além de suas funções consultivas e deliberativas, uma postura de articulação e coordenação diante de uma ausência do Ministério de Educação no enfrentamento das questões educacionais impactadas pela pandemia.

Mozart detalhou possíveis cenários e estratégias que devem ser focadas e planejadas para um rápido retorno. Para ele, ainda é possível ter esperança numa boa retomada, desde que tomemos a BNCC (Base Nacional Comum Curricular) como bússola do processo.

Por fim, falando sobre o futuro da educação, professor Mozart destacou a importância de "pararmos de somente olhar pelo retrovisor e olhar para o farol, para frente, e perceber que a pandemia ampliou a disrupção e não podemos oferecer somente um modelo de educação, pois os estudantes aprendem cada vez mais de forma e em ritmos diferentes".

Assista a entrevista completa no canal do Youtube da Folha de Pernambuco:

 

Veja também

Cortando o mal da violência de gênero pela raiz

Cortando o mal da violência de gênero pela raiz

Série D: Madureira busca reabilitação e São Bento tenta 1ª vitória
Série D

Série D: Madureira busca reabilitação e São Bento tenta 1ª vitória