Produzindo sonhos através da ciência no Alto Nossa Senhora de Fátima, no Recife

Professora Ana Paula junto com estudantes apresentando trabalho em feira em Nova York - Arquivo Pessoal

Maria Ana Paula Freire é professora de geografia dos Anos Finais do Ensino Fundamental da rede municipal do Recife. Hoje, também atua na Escola de Educadores do Recife Professor Paulo Freire, na formação de outros pares.

Ana se destacou na rede ao introduzir a metodologia científica em suas aulas e orientar a produção de trabalhos com os estudantes. “Na escola Octávio de Meira Lins já no ano de 2015, assim como aconteceu em outras escolas, essa nova experiência mudou os rumos de um trabalho que já era consolidado na minha prática: a pedagogia de projetos, porém, agora, com a introdução da metodologia científica. O que parecia um sonho distante, se tornou realidade no chão da escola. As dificuldades surgiram, os erros e acertos foram se intercalando e abrindo possibilidades para o novo acontecer. O que se iniciou timidamente, se concretizou em projetos e uma viva articulação entre a escola e a comunidade.”, contou a professora.

Equipe gestora da escola, Ana Paula e estudantes com banner de projeto de pesquisa | Arquivo Pessoal

O caminho se tornou uma forte estratégia da rede e com impacto relevante para o aprendizado dos estudantes. “Crianças e jovens tímidos, passaram a ampliar suas visões de mundo, experenciar sua criatividade, elaborar hipóteses e sair a campo em busca de respostas para seus problemas de pesquisa. Muitos desses estudantes são exemplos no contexto familiar e comunitário devido ao desempenho nas atividades escolares e projetos. Tivemos pelo menos 15 (quinze) estudantes  contemplados e beneficiados com bolsas de iniciação científica do CNPq Júnior, pela qualidade das apresentações e premiações de seus trabalhos científicos na Febrace (Feira Brasileira de Ciência e Engenharia - USP/SP) e outros através de premiações na Ciência Jovem/PE”, complementou Ana.

“Esses Meninos, essas meninas, sonham “os sonhos possíveis”. Querem chegar nas universidades, e eles/as têm esse direito! Paulo Freire diz que nascemos para ser mais... sejamos mais! Nós professores/as, nossos/as estudantes, mães, pais, irmãos, comunidade”, finalizou.

Estudantes da Escola Municipal Octávio de Meira Lins observando problemas da comunidade | Arquivo Pessoal

Opinião do Papo de Primeira:

Ana é símbolo de uma professora que acredita, que não limita, que corre atrás e que faz a absoluta diferença na vida dos estudantes. A orientação à metodologia científica é uma estratégia didática com ganhos diretos e indiretos. Devolver a capacidade de sonhar talvez seja um dos elementos mais fortes para o resgate da dignidade destes jovens, que além de transformarem suas vidas, inspiram pares e quebram ciclos geracionais.

Apresentar um trabalho em uma feira de ciências não é apenas um evento. É a culminância de um processo, que demanda muitas outras competências. Esse caminho provoca um tremendo engajamento na comunidade e reverbera com muito vigor no clima escolar.

Todos os sábados, publicaremos histórias de sucesso na educação, sob a perspectiva de quem faz o serviço acontecer no chão da escola, na sala de aula.

Veja também

Com aumento da regulação, mineradores de criptomoedas fogem da China
Economia

Com aumento da regulação, mineradores de criptomoedas fogem da China

Rentería pede rescisão e fica a detalhes de deixar o Sport
Saída

Rentería pede rescisão e fica a detalhes de deixar o Sport