O PIB na Economia Mundial em 2020 - 2021

Confira o crecimento e queda do Produto Interno Bruto das maiores economias do mundo

Canva

A oscilação do Produto Interno Bruto das nações entre 2020 e 2021, oferece uma noção do tamanho do desafio que a economia mundial enfrenta em função da pandemia. 

Cenário inédito na história, a economia mundial, com foco no G20 que é o grupo dos 19 países + União Europeia – UE, sob a ótica do Produto Interno Bruto – PIB, experimentou em 2020 (2020/2019) uma queda de -4,28% para logo em seguida pontuar um crescimento de 5,61% (2021/2020). (média aritmética do PIB de 19 países integrantes do G20 e a média aritmética global da EU, composta de 28 países). 

grafico PIB mundial 2020 2021grafico PIB mundial 2020 2021

Esta oscilação desarticulou as cadeias produtivas e de logística mundiais e levou o caos aos preços provocando desabastecimento e descontrole inflacionário em todo o mundo (ver nossa coluna da semana passada).

A reorganização dessas cadeias não é tarefa fácil e exigirá ainda muito tempo para voltar à normalidade.

A boa notícia é que tanto o PIB como as taxas de inflação no mundo já estão desenhando uma tendência de recuperação e estabilidade em 2022, com raras exceções. 

Uma das principais vítimas desta oscilação e suas consequências têm sido o nível de emprego. Com impactos diferentes em função da estrutura da economia de cada país, exigiu políticas sociais diferenciadas, efetivas, e, principalmente, atreladas à renda. 

Um dos aspectos positivos das políticas públicas atreladas à renda é seu alto grau de direcionamento ao consumo, o que gera aumento na atividade econômica, realimentando o ciclo virtuoso da economia. 

O ciclo virtuoso na economia se estabelece na melhor sinergia envolvendo:

investimento - geração de emprego, renda e consumo - geração de resultados que realimenta o investimento.

Adicionalmente, este círculo virtuoso também é responsável pela geração de tributos que financia a atividade de governo, notadamente, saúde, educação e segurança.
 A reversão da taxa negativa de -4,28 % em 2020 para a taxa positiva de 5,61% em 2021, e, a boa perspectiva para 2022, oferece um cenário propício aos empreendedores e investidores continuarem a fomentar negócios e aumentar cada vez mais a atividade economia global.

O caso do Brasil é um retrato do que aconteceu no mundo. De uma retração em 2020 de -3,9% passou em 2021 para um crescimento de 4,6%. Do ponto de vista comparativo, se recuperou com folga em relação à época pré-pandemia. Ocorre que, agora, o crescimento de 2022 será um crescimento real, ou seja, não em cima da recuperação da retratação de 2020, mas em cima do PIB real de 2019, antes da pandemia.

Adicionalmente, 2022 ainda será um ano afetado pelos efeitos da crise de desabastecimento e logística, e, agora, também com os efeitos, ainda imensuráveis, da guerra entre Rússia e Ucrânia.  Caso o conflito se encerre em breve, os efeitos negativos poderão ser recuperados ao longo do ano, caso contrário, corremos o risco, dependendo do agravamento da crise provocada pela guerra, de termos mais um ano perdido do ponto de vista de crescimento econômico. 

 

Forte abraço a todos e fiquem com Deus!

 

Veja também

Parcela de R$ 600 do Auxílio Brasil começa a ser paga nesta terça-feira (9)
Benefício Social

Parcela de R$ 600 do Auxílio Brasil começa a ser paga nesta terça-feira (9)

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI
EUA

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI