Atuação de Julia Garner surpreende e tira o fôlego a cada nova personagem

Atriz ganhou dois Emmys por interpretar Ruth Langmore em "Ozark"

Julia Garner surpreendeu o público e a crítica com sua atuação em "Ozark" - Divulgação/Netflix

O mérito de uma produção bem desenvolvida nunca será atribuído apenas a um elemento (direção, roteiro, elenco). Talvez o que seja mais perceptível para o público são as atuações que, quando bem escolhidas, consagram um filme ou série. Nomes não faltam, mas não tem como ignorar o bom trabalho de Julia Garner, estrela de "Ozark", da Netflix

Atualmente com uma carreira muito elogiada, a atriz novaiorquina de 28 anos começou cedo. Em 2010, estreou em alguns curtas, ramificando seu trabalho tanto para os filmes como para as séries. Personagens icônicos marcam sua trajetória, conquistando o público com sua versatilidade. Agora, premiada e disputada pela indústria, seus projetos trazem mais densidade. 

Um papel recorrente em "The Americans" e participações em "The Get Down" e "Girls" foram seus primeiros trabalhos na TV, mas foi em 2017, na pele da jovem criminosa Ruth Langmore em "Ozark", que Julia começou a ser notada. Depois que uma família foge de Chicago com a missão de lavar dinheiro para um cartel perigoso, é no lago de Ozarks que eles topam com os Langmore, outra família imersa em delitos, porém sem dinheiro ou recursos.  

Ruth Langmore

Ruth logo demonstra ser a mais inteligente de seu bando, mais impiedosa também, ainda que sofra com as circunstâncias. Ela não é puramente má, mas, sim, uma vítima de uma vida sem propósito marcada por presenças masculinas agressivas. Suas motivações são genuínas e ainda que escolha o mau caminho, o público torce pela personagem. 

E que personagem. Não à toa rendeu dois Emmys consecutivos para Garner na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática. Com a estreia da parte 1 da última temporada em janeiro, é indiscutível que a terceira estatueta pode ser uma realidade. Rumores de um spin-off, não confirmado pela Netflix, com a Ruth como protagonista, seria um presente para quem se despede de uma série tão aclamada como "Breaking Bad", mas pouco premiada quando comparada à série da AMC.

Flexibilidade

Fora de "Ozark", Garner também brilhou em outros papéis. Na primeira temporada de "Dirty John", interpretou a filha da protagonista, que tem grande importância no desfecho da história, ainda que seu tempo de cena seja reduzido. Ironicamente, é aqui que vemos como uma atriz pode aproveitar uma oportunidade quando lhe é dada. Mesmo sem tantas falas, a carga dramática entregue deu sinais da grande profissional que o elenco tinha nas mãos.

Já em "Modern Love", Julia teve a oportunidade de protagonizar um episódio da primeira temporada. Uma jovem que sentia falta de uma presença paterna e acaba misturando os sentimentos com um homem mais velho do trabalho. Aqui, o drama vem em menor proporção, mas existe. O ar romântico da personagem contribui para a flexibilidade da atriz, provando mesmo sem precisar, sua grandiosidade.

Garner também esteve prestes a ser indicada ao Oscar pela sua atuação poderosa como Jane, no filme "The Assistant" (2019). Com 92% de aprovação no Rotten Tomatoes, o longa chegou a estar na lista pré-Oscar, mas não se classificou. É um sinal, contudo, de que o potencial de Julia está no ápice. 

Pós-"Ozark"

Nesta sexta-feira (11), chega no catálogo da Netflix "Inventing Anna", uma minissérie protagonizada por Julia Garner. A atriz vive Anna Delvey, uma falsa socialite que seduziu e roubou dinheiro dos figurões da alta sociedade de Nova York. Baseado em fatos, a produção é o próximo lançamento de Shonda Rhimes, conhecida pelos sucessos de "Grey's Anatomy", "Scandal", entre outros. O elenco conta com Anna Chlumsky (Meu Grande Amor), Katie Lowes (Scandal), Arian Moayed (Succession), Laverne Cox (Orange Is The New Black) e Jeff Perry (Grey's Anatomy).

Dizer que, agora, Garner pode provar mais uma vez seu talento replicando o comportamento de alguém real, seria um pleonasmo. No entanto, é, sim, uma oportunidade de entregar algo novo, fora de sua bolha e igualmente incrível. 

*Fernando Martins é jornalista, escritor e grande entusiasta de produções televisivas. Criador do Uma Série de Coisas, escreve semanalmente neste espaço. Acesse o Portal, Podcast e redes sociais do Uma Série de Coisas neste link

*A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas. 

Veja também

COMPANHIA ALCOOLQUÍMICA NACIONAL  ALCOOLQUÍMICA - EDITAL

COMPANHIA ALCOOLQUÍMICA NACIONAL ALCOOLQUÍMICA - EDITAL

CL EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA - COMUNICADO

CL EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA - COMUNICADO