Hospital Veterinário do Recife abre seleção para estágio obrigatório

São dez vagas, entre clínica médica e cirurgia - Pixabay

A Secretaria Executiva dos Direitos dos Animais (SEDA) está abrindo seleção simplificada para estágio obrigatório - aquele cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção do diploma de curso superior. 

O trabalho será exercido no Hospital Veterinário do Recife (HVR) e supervisionado por médicos veterinários. Ao todo, são oferecidas dez vagas para estudantes universitários que irão cursar o último período do curso de Medicina Veterinária. 

Os estágios terão início até setembro. Serão cinco vagas destinadas ao turno da manhã e outras cinco para a tarde. Em cada turno, três vagas são para a clínica médica e duas para cirurgia veterinária.

Leia também:

Você sabe quais são as raças brasileiras de cães? Conheça seis delas
 
Deixa ração à vontade para o pet? Saiba alguns motivos para mudar esse hábito
 
Oferecer leite a cães e gatos pode causar problemas intestinais; entenda

Veja outras notícias no Folha Pet

Os selecionados terão uma carga horária de 20 horas semanais, de segunda a sexta-feira, com a duração do estágio por até cinco meses. 

Devido à pandemia da covid-19, os interessados deverão encaminhar os currículos virtuais, em formato PDF, para o e-mail [email protected] O prazo para envio encerra na próxima quarta-feira (23). 

O processo seletivo será feito em duas etapas, consistindo em análise curricular e prova prática. O resultado com os estudantes selecionados será divulgado no site da SEDA, no dia 1º de julho. 

Os estudantes selecionados deverão apresentar seguro e Termo de Compromisso de Estágio oriundos de sua Instituição de Ensino. 

Veja também

TSE mira Bolsonaro e abre inquérito para apurar acusações de supostas fraudes nas urnas
Investigação

TSE mira Bolsonaro e abre inquérito para apurar acusações de supostas fraudes nas urnas

Secretários de Cultura falam que negligência da gestão Bolsonaro levou a incêndio na Cinemateca
Cinemateca

Secretários de Cultura falam que negligência da gestão Bolsonaro levou a incêndio na Cinemateca