Pelos embaixo das patinhas passam despercebidos, mas podem oferecer riscos

Animais idosos ou que já têm alguma patologia podem ser prejudicados - Juliana Figueiroa/Cortesia

Você já reparou na quantidade de pelos que se acumulam na região que fica embaixo das patinhas dos cães e dos gatos? Apesar de passar despercebido pela maioria dos tutores, esse é um cuidado que pode fazer grande diferença na qualidade de vida dos pets. 

Quando grandes demais, esses pelos acabam ficando por cima dos coxins (popularmente chamados de almofadinhas), o que prejudica a aderência das pegadas dos animais ao piso, aumentando o risco de escorregões durante a caminhada. Isso é ainda mais perigoso para cães e gatos que vivem em ambientes com pisos lisos, naturalmente mais propícios a deslizes. 

No caso dos felinos, que têm o instinto de explorar lugares altos, há ainda o perigo de escorregarem em móveis ou mesmo não conseguirem a aderência ideal após saltos e sofrerem lesões. 

Animais idosos, por já terem maior fragilidade física, sofrem mais. O mesmo vale para aqueles com alguma patologia ortopédica. A falta de aderência ao caminhar pode proporcionar dores e levar à piora de alguns quadros clínicos.   

Leia também:

Cavalo entende melhor quando falam com ele como um bebê

Existe intervalo de tempo ideal para dar banho nos cães?
 
Excesso de fofura: 217 tartarugas marinhas nascem na Praia de Piedade
 
Leia outras notícias no Folha Pet


A tosa higiênica nas patas evita ainda o acúmulo de bactérias e parasitas, além de resíduos que, por ventura, possam ficar presos durante passeios e machucar o animal.  

Os cães com pelagem longa ou densa precisam passar por essa manutenção em intervalos mais curtos de tempo do que aqueles com pelos curtos.

Mas todos devem fazer a tosa higiênica das patinhas com certa regularidade. No caso dos felinos, a necessidade é maior para aqueles de raças de pelo longo, como os persas. 

Faça você mesmo
Esse é um tipo de cuidado que você pode administrar em casa. Algumas máquinas de cortar pelos podem deixar o processo mais rápido. Mas você pode usar uma tesoura. A preferência é por um modelo reto e que não tenha a ponta fina, a fim de evitar acidentes.  

Se você achar que não tem habilidade suficiente ou tiver medo de fazer a tosa, pode pedir algumas dicas ao médico veterinário de confiança. Se o seu animal costuma ir a pet shops com frequência, basta reforçar o pedido para cortar os pelinhos das patas. 

Veja também

Testes de anticorpos após vacina contra Covid-19 são incapazes de garantir a eficácia do imunizante
Coronavírus

Testes de anticorpos após vacina contra Covid-19 são incapazes de garantir a eficácia do imunizante

Senado aprova redução na tarifa de energia elétrica por 5 anos
CONTA DE ENERGIA

Senado aprova redução na tarifa de energia elétrica por 5 anos