Vitamina B12: importante para o sangue

Salmão - Pixabay

Olá, leitores e internautas que acompanham a coluna Saúde e Bem-Estar da Folha de Pernambuco

Segundo dados publicados no Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial, 20% da população que vive em países industrializados apresenta deficiência da vitamina B12. O índice preocupa ainda mais quando são avaliados os países em desenvolvimento, como Índia, México e Guatemala que trazem indicadores relevantes entre alguns grupos de risco. Idosos, vegetarianos, pacientes que passaram por cirurgia bariátrica, além de indivíduos com síndromes de má absorção e doenças gastrointestinais são os que mais têm deficiência dessa vitamina e, portanto, precisam estar atentos e fazer o monitoramento adequado, por meio de exames de sangue específicos periodicamente. Isso porque a falta de mecobalamina pode levar a complicações hematológicas, psíquicas e neurológicas graves, como a anemia megaloblástica e até demência.

O que é a Vitamina B12?

A vitamina B12, também conhecida como cobalamina ou mecobalamina (em sua forma ativa), é sintetizada exclusivamente por micro-organismos, solúvel em água e essencial a todos. Os seres humanos não são capazes de produzi-la, portanto, é obtida através do consumo de alimentos de origem animal ou suplementação. A mecobalamina é de extrema importância para formação de células vermelhas do sangue, para as funções do sistema nervoso e neurológicas e é cofator de diversas enzimas necessárias ao organismo, inclusive na produção de DNA.

Deficiência:

A deficiência de vitamina B12 pode ser assintomática ou sintomática e causar uma série de problemas de saúde. Seu quadro clínico é variável, mas os pacientes podem apresentar anemia, fraqueza, falta de parestesias (sensação de formigamento), dores nos nervos (neuropatias), esquecimento (levando a um quadro de demência), entre outros. Além disso, é uma vitamina essencial para bariátricos, pacientes com fatores de risco cardiovasculares, diabéticos (por conta do tratamento à base de metformina), pessoas com restrições alimentares, além de veganos e vegetarianos.

Estima-se que cerca de 60% da população pode ser deficiente em vitamina B12, o que mostra o risco eminente de levar a transtornos hematológicos, neurológicos e cardiovasculares, especialmente, por interferir no metabolismo da homocisteína, um aminoácido presente no plasma do sangue que participa de reações de metilação do organismo.

A presença da vitamina B12 é fundamental para o funcionamento saudável do corpo e organismo Dessa forma, recomenda-se uma avaliação médica evoluindo para exames que avaliam a taxa de B12 no organismo.

Busque a sua melhor versão!

Saúde em Pílulas

Pesquisa I - O isolamento social obrigou as pessoas a rever hábitos, rotinas, atividades de lazer e dinâmicas de trabalho, mas também levou a imensa maioria a repensar a qualidade de vida de forma definitiva. Um levantamento realizado por Molico por meio do C.Lab, laboratório interno de pesquisas da Nestlé, que falou com 600 pessoas em todas as regiões do País, apontou que 73% dos entrevistados querem manter a harmonia entre os hábitos adquiridos e a rotina anterior. Quase 3 em cada 4 (75%) pessoas pretendem buscar mais equilíbrio entre trabalho, família, amigos e autocuidado no pós-pandemia. Para 75%, a saúde emocional passou a ser vista com a mesma importância da saúde física. No Nordeste, o estudo apurou que 40% dos participantes disseram que passaram a se cuidar mais. A pesquisa foi feita com homens e mulheres entre 25 e 55 anos.

Pesquisa II – A Herbalife Nutrition, em parceria com a One Poll, realizou estudo que apontou mudanças nos hábitos alimentares das pessoas ocasionadas, principalmente, pelo maior tempo em casa por conta da quarentena. Entre as novas medidas alimentares adotadas pela população, estão o aumento no consumo de frutas e verduras (51%), a ingestão de mais alimentos à base de plantas (43%) e o esforço para comer menos carne (43%). O estudo foi realizado em 30 países, com um total de 28 mil indivíduos, entre eles 1.000 brasileiros.

Covid-19 - Meses após o início da pandemia da Covid-19, sabe-se que, além do pulmão, porta de entrada do vírus, outros órgãos também podem ser afetados. Porém, ainda é preciso entender se as sequelas neurológicas são passageiras ou permanentes. O neurologista Breno de Macêdo chama atenção para recente estudo liderado por pesquisadores da Universidade Federal de Campinas (Unicamp) e Universidade de São Paulo (USP), revelando que o SARS-CoV-2 é capaz de causar alterações importantes na estrutura do córtex, área cerebral com maior concentração de neurônios, podendo inclusive levar à morte do tecido cerebral. Também infecta os astrócitos, células mais abundantes do sistema nervoso central responsáveis pela sustentação e nutrição dos neurônios. A pesquisa sugere ainda que o caminho de acesso ao cérebro é pelo nariz e atenta para os pacientes com sintomas leves a moderados que também apresentaram modificação significativa no córtex. De acordo com o estudo, embora a maior parte dos pacientes com Covid-19 apresente sintomas pulmonares, cerca de 30% dos infectados acabam manifestando sintomas neurológicos ou psiquiátricos.

Nutrição - O Congresso Internacional de Nutrição (COINNUT), que tradicionalmente acontecia no Centro de Convenções de Pernambuco, neste ano será transmitido 100% pela internet. As inscrições para esta terceira edição já estão abertas e podem ser feitas pela internet através do link: https://doity.com.br/coinnutonline. O evento que vai reunir profissionais nacionais e internacionais da área da saúde e nutrição promove entre os dias 19 e 22 de novembro, discussões de caráter técnico-científico, político e cultural sobre alimentação adequada, funcional e saudável na busca dos conceitos da sustentabilidade

A Palavra do Especialista

Câncer de próstata e fertilidade

Médico Filipe Tenório
Médico Filipe Tenório - Foto: divulgação

No Novembro Azul, vem o alerta para a prevenção do câncer de próstata, o segundo câncer mais comum entre os homens no Brasil, perde apenas para o de pele não melanoma. O que muita gente não sabe é que a doença também pode afetar a fertilidade masculina. Quando o paciente opta pela cirurgia do câncer de próstata, são retirados a próstata, as vesículas seminais e parte do ducto deferente. Embora o paciente continue produzindo espermatozoide, não é mais possível expeli-lo.

Os homens que desejam ter filhos após a cirurgia devem realizar a extração do espermatozoide para a fertilização in vitro por meio do congelamento do sémen. Ressalta-se que o câncer de próstata em si não possui grande impacto na fertilidade, o impacto são os tratamentos. Agora existem tratamentos que realmente deixam o homem infértil e é muito difícil reverter, mas na maioria das vezes se consegue extrair espermatozoide do testículo.

Com relação à saúde sexual, o câncer de próstata raramente vai ter impacto na saúde sexual, mas, os tratamentos para câncer de próstata têm impacto grande na função sexual. A cirurgia pode causar impotência, também pode diminuir o orgasmo. A radioterapia também tem impacto na potência e os tratamentos hormonais têm impacto na libido e na potência. Então, o câncer de próstata em si não impacta nem na fertilidade nem na função sexual, mas sim os tratamentos que são utilizados esses sim têm impactos tanto na fertilidade quanto na saúde sexual. Mas, que na maioria das vezes são tratados. Podemos extrair espermatozoide do testículo para fazer realizar uma fertilização in vitro. Já em relação à impotência, podemos colocar uma prótese peniana e resolver o problema da ereção.

Filipe Tenório é médico urologista e especialista em fertilidade do homem. CRM/PE: 17.450. @drfilipetenorio

Veja também

Após dez anos fechado, Teatro do Parque volta a funcionar em 11 de dezembro
Cultura

Após dez anos fechado, Teatro do Parque volta a funcionar em 11 de dezembro

Pernambuco registra 781 casos da Covid-19 nas últimas 24h e 25 novas mortes
Coronavírus

Pernambuco registra 781 casos da Covid-19 nas últimas 24h e 25 novas mortes