Após queixas de usuários, Instagram deixará de tentar se parecer com TikTok

"Definitivamente precisamos dar um grande passo para trás", disse CEO do Instagram

TikTok e Instagram - Pexels

O Instagram deixará de lançar recursos rejeitados pelos usuários por alegações de que a rede social quer se parecer muito com o TikTok, de acordo com um relatório do boletim tecnológico Platformer. 

As irmãs celebridades digitais Kim Kardashian e Kylie Jenner foram algumas das usuárias mais ativas postando mensagens esta semana pedindo à empresa para "fazer o Instagram ser o Instagram novamente" e parar de tentar se parecer com o TikTok

A frase nasceu na plataforma de petição change.org, que na noite de quinta-feira havia recebido mais de 229 mil assinaturas apoiando a iniciativa. 

"Vamos voltar às nossas raízes no Instagram e lembrar que a intenção por trás do Instagram era compartilhar fotos, pelo amor de Deus", dizia a petição. 

O CEO do Instagram, Adam Mosseri, respondeu à controvérsia no início desta semana com um vídeo no Twitter dizendo que os recursos eram um trabalho em andamento e estavam sendo testados com um pequeno número de usuários.

Leia Também

• TikTok lança primeiro álbum com hits

• TikTok permitirá que criadores cobrem assinatura mensal

• TikTok se torna parceiro do Festival de Cannes

As mudanças incluem a reprodução de vídeos curtos em tela cheia, como o TikTok, e a recomendação de postagens de estranhos. 

"Estou feliz por termos arriscado", disse Mosseri em entrevista à Casey Newton, do Platformer. "Mas definitivamente precisamos dar um grande passo para trás e nos reunir", acrescentou. 

"Se não falharmos de vez em quando, não estamos pensando inteligente ou grande o suficiente", disse ele.

Mosseri argumentou que a mudança para mais presença de vídeo aconteceria mesmo que o serviço não mudasse nada, já que os usuários que compartilham e pesquisam vídeos estão aumentando. 

"Se você der uma olhada no que as pessoas estão compartilhando no Instagram, verá que há cada vez mais uma mudança para o vídeo ao longo do tempo", explicou ele. 

O diretor da Meta, Mark Zuckerberg, endossou essa posição durante uma teleconferência na quarta-feira, reforçando que as pessoas estão assistindo a vídeos online cada vez mais. Meta e Google estão entre as empresas que enfrentam crescente concorrência do TikTok pela atenção das pessoas e lançaram suas próprias versões de formatos de compartilhamento de vídeos curtos.

Veja também

Homem de 33 anos é morto a tiros em Itapissuma; suspeito do crime é guarda municipal
Região Metropolitana do Recife

Homem de 33 anos é morto a tiros em Itapissuma; suspeito do crime é guarda municipal

Jaboatão inicia vacinação contra Covid-19 em crianças com 3 anos; confira locais de imunização
IMUNIZAÇÃO

Jaboatão inicia vacinação contra Covid-19 em crianças com 3 anos; confira locais de imunização