Itaú comemora democratização de conteúdo do SXSW; agora, banco mira próximos eventos e inovações

Plataforma de Inovação criada pelo banco estará presente em eventos de tecnologia

Renato Haramura, superintendente de Marketing Institucional do Itaú Unibanco - Divulgação
Selo SXSW

O South by Southwest (SXSW), um dos maiores eventos de tecnologia, inovação, música e cinema do mundo, levou mais de dois mil brasileiros a Austin, no Texas (EUA), para assistirem a keynotes e exposições de grandes referências na área.

Se, nos corredores do pavilhão onde aconteciam as conversas, era possível ouvir o idioma nacional com bastante frequência, nos ouvidos dos participantes, o português também marcava seu espaço graças à tradução simultânea do conteúdo, feita por iniciativa da estreante Plataforma de Inovação do Itaú.

Foi a primeira vez que o banco brasileiro participou do evento como um dos patrocinadores e seu debute foi acompanhado pelo novo hub. A intenção da instituição bancária é que, com essa iniciativa, o Itaú consiga incentivar o empreendedorismo de inovação, conectando pessoas, empresas e organizações com o intuito de fortalecer esse mercado no Brasil e gerar novas oportunidades de negócios.

"Todos esses eventos têm como objetivo estar conectado com as conversas que estão acontecendo, porque são conversas que vão falar de futuro ou de tecnologia. Agora elas podem ser embrionárias, mas em algum momento vão ficar mainstream [populares] e potencialmente vão mudar e transformar a cultura do mundo", afirma o superintendente de Marketing Institucional do Itaú Unibanco, Renato Haramura.

Durante o SXSW, foi possível conferir a estratégia do Itaú ao vivo. Para ajudar as pessoas que estavam ali para assistirem aos keynotes, o banco disponibilizou fones de ouvido Bluetooth, que possibilitaram a tradução simultânea de diversos conteúdos.

"A gente pega esse conteúdo, democratiza e garante que ele chegue para as pessoas, facilita o processamento dessas discussões. Quando você ouve na sua língua mãe, é muito mais fácil de digerir. Tem algumas conversas aqui que são conversas que vão mudar o mundo, mas é preciso entender o que isso significa", explica Haramura. 

Renato Haramura - superintendente de Marketing Institucional do Itaú UnibancoSuperintendente de Marketing Institucional do Itaú Unibanco, Renato Haramura. Foto: Divulgação

Democratização externa e também interna
Além de tentar facilitar o acesso de clientes e não clientes aos conteúdos de inovação, a instituição também pretende levar o aprendizado dos eventos para dentro do seu dia a dia. Dessa forma, segundo Haramura, "As pessoas que estão no banco podem olhar para mercados análogos e se inspirarem para inovar ".

O conteúdo curado pelo Itaú é divulgado em plataformas criadas durante os eventos patrocinados ou com seus parceiros. Durante o SXSW, a Fast Company foi a responsável por fornecer pílulas desse conteúdo para o público. 

"Nosso objetivo em estar aqui é democratizar o conteúdo, são as coberturas que a gente está fazendo, Itubers que estão aqui, os colabores captando esses conteúdos para depois a gente fazer os downloads. Essa curadoria é feita para ajudar as pessoas a entenderem que isso pode virar alguma coisa e como isso vai impactar na vida das pessoas. Este é o trabalho que a gente vai levar", garante o gerente. "Nossa intenção não é fazer nenhum desses conteúdos fechados, mas que sejam conteúdos que estejam disponíveis" finaliza.

Após o SXSW, o Itaú deve dar um próximo passo, desta vez no Web Summit Rio, em maio. Novamente, trazendo uma visão menos institucional da tecnologia. 

Veja também

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho
Eletrobras

Eletrobras: trabalhadores poderão entrar em greve a partir de 3 de junho

PRF prende envolvido no 8 de janeiro que tentava fugir para Argentina
Fuga

PRF prende envolvido no 8 de janeiro que tentava fugir para Argentina

Newsletter