Na Coreia do Sul, sindicato de funcionários da Samsung Electronics convoca greve inédita

Porta-voz da Samsung Electronics disse que a empresa não comentaria declaração do sindicato

Edifício Seocho da Samsung, em Seul - Jung Yeon-je/AFP

Um sindicato que representa funcionários da Samsung Electronics convocou uma greve inédita na história da gigante de tecnologia sul-coreana, após negociações salariais terminarem sem um acordo.

O plano é que membros do sindicato tirem coletivamente um dia de licença remunerada no dia 7 de junho, em um primeiro passo em direção a uma possível greve em grande escala.

"Não podemos mais tolerar a opressão trabalhista e a opressão sindical. Estamos declarando uma greve, diante da atitude da diretoria de ignorar os trabalhadores", dizia uma faixa exibida por membros do sindicato que se reuniram nesta quarta-feira.

Uma porta-voz da Samsung Electronics disse que a empresa não comentaria a última declaração do sindicato.

O sindicato e a diretoria da Samsung Electronics realizaram várias rodadas de conversações e negociações desde janeiro, mas não conseguiram chegar a um acordo. O sindicato alega ter cerca de 28 mil membros, representando cerca de um quinto do quadro de funcionários da empresa.


Na Bolsa de Seul, a ação da Samsung Electronics fechou em baixa de 3,1% nesta quarta-feira, após notícia sobre a possível greve

Se a paralisação for confirmada, será a primeira na história de trabalhadores da Samsung.
 
Fonte: Dow Jones Newswires.

Veja também

Baleados em meio ao descaso: a dupla sentença dos haitianos
haiti

Baleados em meio ao descaso: a dupla sentença dos haitianos

Bancos precisam discutir desafios éticos da IA, diz presidente da Febraban
Inteligência Antificial

Bancos precisam discutir desafios éticos da IA, diz presidente da Febraban

Newsletter