Novas regras do WhatsApp começam a valer neste sábado (15). Veja o que muda

Usuários que não aceitarem os novos termos podem ter aplicativo inutilizado - Pixabay

O WhatsApp vai mesmo atualizar seus Termos de Uso e Política de Privacidade. A mudança, anunciada em janeiro deste ano, acontece a partir deste sábado (15), após polêmicas envolvendo o acesso do Facebook a dados do mensageiro. Com as novas regras, a empresa de Mark Zuckerberg poderá usar informações coletadas em conversas feitas entre usuários e perfis comerciais para direcionar anúncios personalizados em suas outras plataformas, como o Instagram. 

Polêmica e aumento da concorrência
A mudança estava prevista para acontecer no dia 8 de fevereiro, mas foi adiada após críticas de órgãos reguladores da internet, governos e até dos próprios usuários. A maior parte das reclamações está no fato de que a aceitação dos novos termos é obrigatória e, caso não concorde em compartilhar os dados gerados nas interações com os perfis comerciais, o usuário perderá acesso ao aplicativo. 

Na época, outros mensageiros como Signal e Telegram bateram recordes no número de downloads, chegando a ocupar o primeiro lugar na lista dos aplicativos mais baixados tanto na Apple Store, quanto no Google Play.

Leia também
O que esperar da conferência anual Google I/O
Facebook poderá ler conversas com empresas parceiras
Google vai usar ferramenta para apagar mensagens de 'bom dia' do WhatsApp

Mas, afinal, o que muda? 
Segundo o anúncio feito pela empresa no início do ano, o aplicativo vai compartilhar dados de interação trocados entre o usuário e as empresas parceiras do Facebook. Entre as informações que podem ser coletadas pelas companhias estão o número do telefone, marca, modelo, número de IP do dispositivo, além da empesa de telefonia utilizada pelo usuário. Outras informações como o status, "online" e "visto por último", assim como dados de tempo de uso também poderão ser acessadas. 

O Facebook defende que, apesar da aceitação dos termos ser obrigatória, fica a cargo do usuário conversar ou não com empresas dentro do aplicativo, podendo bloqueá-las ou removê-las de sua lista de contatos. A empresa garante que apenas as interações feitas com as contas comerciais serão divulgadas. As conversas pessoais continuam protegidas com a criptografia de ponta a ponta.

Negar as atualizações pode inutilizar aplicativo
Quem não concordar com os novos Termos de Uso sofrerá sanções da empresa. Na última sexta-feira (7), o WhatsApp explicou que não apagará as contas de quem não aceitar a atualização, mas vai limitar as funcionalidades do aplicativo gradualmente. Segundo a companhia, os perfis que não concordarem com as novas regras não poderão acessar a lista de conversas ou responder mensagens pelo app, usando apenas as notificações do celular como opção de resposta. 

Após algumas semanas, o aplicativo deve parar de enviar mensagens, receber notificações, ou chamadas. O WhatsApp só voltará a funcionar normalmente quando o usuário aceitar os novos termos de privacidade.

Veja também

Conta de luz poderá ter aumento de até 20% em julho
Energia

Conta de luz poderá ter aumento de até 20% em julho

Lista para PGR desprezada por Bolsonaro em 2019 tem votação de 70% dos procuradores em 2021
Eleição da PGR

Lista para PGR desprezada por Bolsonaro em 2019 tem votação de 70% dos procuradores em 2021