TIM usa energia solar para levar 4G em áreas sem cobertura; meta é chegar a 100% do País até 2023

Projeto SkyCoverage, da TIM - Divulgação/TIM

Projeto da TIM, o SkyCoverage pretende levar cobertura de internet 4G para 100% dos municípios do Brasil até 2023, incluindo em rodovias e distritos. Para isso, serão usadas estruturas simplificadas, que contam com alimentação de energia via painéis de energia solar.

A iniciativa da companhia valoriza ações sustentáveis, como o uso de energia de matriz renovável, para cobrir locais remotos, que, atualmente, não contam com cobertura de internet.

O SkyCoverage já começou a instalar antenas em pontos remotos do Brasil, no início deste ano.

A região Nordeste é foco do projeto, segundo a empresa, e receberá mais de 40% do total dos investimentos previstos neste primeiro ano. 

O planejamento é chegar em mais de 300 cidades nos nove estados do Nordeste ainda em 2021. 

 “Ao levarmos a cobertura 4G a áreas mais distantes em apenas dois anos, estamos não só ajudando o Brasil na questão da inclusão digital, como ativando o potencial econômico e social dessas regiões, seja para o aumento da produtividade ou para incentivar a educação”, destaca o CTIO da TIM Brasil, Leonardo Capdeville.

Atualmente, a TIM tem cobertura 4G em 4.121 cidades, a maior do País. 

Ação sustentável
Um dos grandes diferenciais do investimento está no uso de energia renovável. 

A empresa opta por adquirir energia de matriz renovável para garantir o funcionamento das suas estações (sites), com adesão a soluções offgrid, ou seja, que não dependem de rede elétrica para funcionamento, mas de alimentação de energia proveniente de painéis fotovoltaicos. 

Desta forma, é possível oferecer infraestrutura simplificada, com menor custo, e ainda assim garantir maior cobertura da tecnologia de quarta geração.

A ideia é integrar a operadora, parceiros e fornecedores e oferecer conectividade 4G em 700MHz atendendo, além de 100% dos municípios do Brasil, inúmeras localidades que hoje não têm sinal de internet ou telefonia, especialmente em áreas remotas, nas regiões mais periféricas do País. 

A partir de antenas de infraestrutura simplificada, chamadas sites, com torre estaiada e de menor custo, será possível distribuir o sinal 4G mesmo onde não há rede elétrica, já que podem ser alimentadas por energia solar. 
Desta forma, são estruturas não só mais acessíveis em todo o território nacional como também sustentáveis.

A escolha de fornecedores e parceiros da TIM também está atrelada às metas do SkyCoverage, que tem como um dos propósitos apoiar o desenvolvimento de tecnologias que otimizem os custos para a viabilidade da cobertura.

Veja também

Louzer elogia Betinho e lamenta “distância” entre setores em derrota
Futebol

Louzer elogia Betinho e lamenta “distância” entre setores em derrota

Atlético-MG perde para o Ceará em noite de falhas de Everson
Futebol

Atlético-MG perde para o Ceará em noite de falhas de Everson