Twitter remove 3.500 contas de propaganda governamental e desinformação

Outras contas eliminadas promoviam ação de autoridades do México, Rússia, Tanzânia, Uganda e Veneza

Twitter - Freepik

A rede social Twitter anunciou nesta quinta-feira (2) que removeu cerca de 3.500 contas que realizavam operações de influência e propaganda em benefício de governos de diferentes países.

A grande maioria dessas publicações (2.048) transmitia o discurso oficial do Partido Comunista da China sobre o tratamento do povo uigur, uma minoria muçulmana da qual acredita-se que cerca de um milhão de membros estão detidos em campos de trabalhos forçados, de acordo com ONGs.

Outras 100 contas estavam vinculadas a uma empresa próxima ao governo da província chinesa de Xinjiang (noroeste da China), onde vive grande parte dos uigures.

Outras contas eliminadas promoviam a ação de autoridades do México, Rússia, Tanzânia, Uganda e Venezuela.

O Twitter também anunciou o lançamento, no início de 2022, de um painel sobre questões relacionadas à moderação de sua plataforma, que reunirá acadêmicos, representantes de ONGs, jornalistas e membros da sociedade civil.

A rede social destacou que não exercerá nenhum controle sobre os temas analisados ou as conclusões deste grupo de especialistas.

Na quarta-feira (1º), o gigante das redes sociais Facebook informou que desmantelou uma operação orquestrada na China, que utilizava contas falsas para alimentar as tensões com os Estados Unidos.

Veja também

Publicidade Legal - 19 de Janeiro de 2022 - Editais e balanços

Publicidade Legal - 19 de Janeiro de 2022 - Editais e balanços

Derramamento de óleo atribuído à erupção no Pacífico atinge áreas de proteção no PeruDanos ambientais

Derramamento de óleo atribuído à erupção no Pacífico atinge áreas de proteção no Peru