Versão do Clubhouse para Android chega ao Brasil

Para criar conta no Clubhouse é preciso receber um convite - Katarina Bandeira/Folha de Pernambuco

A partir desta terça-feira (18), usuários de Android poderão baixar em seus smartphones o aplicativo do Clubhouse. A rede social, que foca em conversas por áudio, era exclusiva para iPhone (iOS), e teve um aumento de popularidade no início do ano, após ser elogiada pelo empresário Elon Musk. Na época, famosos como Oprah, Anitta e Boninho participavam ativamente da rede.

Assim como sua versão da iOS, quem quiser entrar no Clubhouse usando um aparelho Android precisará ter um convite. Ele pode ser adquirido ao entrar na lista de espera da rede social ou com usuários que já tenham conta no app. Infelizmente, nem todas as funcionalidades disponibilizadas para aparelhos da Maçã estão na versão do Google. 

Leia também

 Twitter terá que pagar R$ 220 mil a Caetano Veloso e Paula Lavigne

Google garante que Android 12 será o 'sistema operacional mais pessoal de todos'

Facebook cria salas de áudio para rivalizar com Clubhouse

Funcionalidades como seguir um tópico, criar ou administrar um clube, não estão disponíveis, além de que também não é possível vincular seus perfis sociais, fazer pagamentos ou alterar o nome de perfil na rede. No entanto, a empresa afirmou em uma publicação em sua conta oficial do Twitter os dispositivos Android devem receber atualizações com os recursos, em breve.
Apesar da novidade, o Clubhouse já esteve melhor de audiência. Recentemente, a plataforma registrou uma queda de 66% em número de downloads. O motivo se deve, principalmente, ao investimento pesado da concorrência - como Facebook, Twitter, Discord e Spotify, em ferramentas que proporcionam experiências parecidas com a entregue pelo app. 

Veja também

Sport pouco produz e perde para o Juventude fora de casa
Série A

Sport pouco produz e perde para o Juventude fora de casa

Pernambuco recebe mais 310 mil doses de vacinas da Astrazeneca/Fiocruz
Vacina

Pernambuco recebe mais 310 mil doses de vacinas da Astrazeneca/Fiocruz