Xiaomi expande lojas conceito para o Nordeste; Recife está na mira da empresa para 2022

Falta de um ponto estratégico acabou adiando a inauguração de uma unidade na cidade em 2021

No início do mês a Xiaomi inaugurou sua terceira unidade na capital paulista. Expansão para o Nordeste começa em dezembro - Xiaomi/Divulgação

O Recife está cada vez mais próximo de receber uma das famosas lojas da chinesa Xiaomi. No Brasil desde 2019, a empresa de tecnologia confirmou seus planos de expansão para o Nordeste, que serão inciados com a inauguração de uma loja em Salvador, na Bahia, em dezembro deste ano e apontou a capital pernambucana como seu próximo alvo.

Em entrevista exclusiva ao blog Tecnologia e Games, Thiago Araripe, gerente de marketing da empresa no Brasil, e Luciano Barbosa, head do Projeto Xiaomi Brasil, afirmaram que o mercado aquecido e a retomada das atividades presenciais no Recife têm animado a equipe, mas a falta de um ponto comercial estratégico acabou adiando a inauguração de uma unidade na cidade, que chegaria junto com a loja prevista para a capital baiana.

“Era para ser Recife, contudo o melhor ponto que a gente conseguiu foi em Salvador. Fechamos com Salvador primeiro para garantir a expansão no Nordeste, mas estamos negociando e bem empolgados em chegar por aí”, confessou Luciano ao blog. O head revelou que teve a oportunidade de trazer lojas menores para a capital pernambucana, mas prefere inciar a operação com uma unidade conceito, apresentando todos - ou grande parte - dos produtos comercializados pela gigante no Brasil. “A gente vai levar a experiência completa”, afirma. 

Xiaomi quer seduzir consumidor pela experiência 
Segundo Thiago Araripe, a inauguração de uma loja em um formato com diferentes experimentações para o público faz parte do plano global da Xiaomi. “A Xiaomi tem prosperado porque ela funciona no modo online, de e-commerce. Nós nascemos nesse formato. Nossas lojas são como butiques, elas são experiências. Por isso que a gente tem pouquíssimas unidades, porque toda loja quer trazer uma experiência completa”, explica o gerente. 

Apesar de ser um dos carros chefes da gigante chinesa, que recentemente se tornou a segunda maior vendedora de celulares do planeta em volume de aparelhos (ultrapassando a Apple), os telefones devem dividir espaço com outros produtos. “Nós somos uma marca que não é apenas de smartphone, é uma marca de tecnologia, de experiências mesmo, de ecossistemas. Por isso que a gente trata cada loja como um grande acontecimento. Queremos que as pessoas enxerguem isso”, completa Araripe.

Isso significa que um dos itens mais populares entre os “fãs” da marca deve desembarcar pelo Recife quando as negociações para o novo espaço forem concluídas: a toalha de alta absorção ZSH. “Um produto que entrou em evidência desde que a gente começou a expandir as lojas foi a nossa toalha. Porque ela realmente absorve completamente o líquido na hora. Essa experiência você só pode proporcionar com uma loja completa”, finaliza Thiago. 

Atualmente, o portfólio da Xiaomi no Brasil conta com mais de 500 dispositivos, entre smartphones, pulseiras inteligentes, patinetes, toalhas, abridor de vinhos e itens para casa conectada como lâmpadas inteligentes, entre outros. Apesar de não se comprometerem com datas durante a entrevista, a expectativa é que a loja recifense da gigante seja a próxima deles, no Nordeste, chegando a um conhecido shopping da capital em 2022.

Veja também

Revista Digital FMOTORS | Edição Dezembro 2021Revista Digital FMOTORS

Revista Digital FMOTORS | Edição Dezembro 2021

Florentín destaca entrega do time e agradece apoio da torcida contra o FlamengoSport

Florentín destaca entrega do time e agradece apoio da torcida contra o Flamengo