Os bares são delas

Já se foi o tempo em que bebida de mulher era apenas vinho, espumante ou caipirosca de morango. Dizer que cerveja e uísque são bebidas de homens também já é coisa mega ultrapassada. Somos muitas e com gostos variados, cada uma com escolhas diversas. 

Mestras cervejeiras

“Foi das mãos de uma mulher que produzimos as nossas primeiras cervejas. Em 2016, convidamos Kátia Jorge, uma das primeiras mestras cervejeiras mulher do país e com formação nas mais tradicionais escolas europeias, para nos ajudar a dar início às nossas operações”, comenta o CEO da Cervejaria Artesanal, Ekäut, Diogo Chiaradia. 

Ekäut

Segundo a marca pernambucana o consumo da Ekäut aumentou bastante entre as mulheres nos últimos anos. “Hoje, cerca de 30% dos nossos consumidores são formados por elas. Apesar de existir um consumo relevante de cervejas mais lupuladas, as mulheres preferem as mais leves, como a nossa ‘Premium Lager’, que tem a proposta de ser uma cerveja puro malte de alta qualidade, mais refrescante, perfeita para tomar o dia todo e de baixa caloria”, explica.

Zero calorias

Percebendo a alta da demanda por cerveja sem álcool, a Ekäut já trabalha na produção de uma receita especial para atender a essa categoria, que não é apenas para quem tem alguma restrição - ingestão de algum medicamento, gravidez ou lei seca, por exemplo -, mas também para quem é louco por cerveja e quer consumir a qualquer momento. A previsão é que seja lançada no segundo trimestre deste ano. De acordo com Diogo, as cervejas ácidas com base de frutas também atraem o público feminino, além dos drinks a base cervejas que a Ekäut desenvolve com alguns clientes.

Hard seltzer

Nessa pegada leve e refrescante, virou tendência a ‘hard seltzer’, bebida alcoólica semelhante à uma água gaseificada saborizada. Nos EUA essa bebida foi lançada em 2016 e virou febre nacional no verão de 2019 com crescimento anual de 127%. Por ser uma bebida com aproximadamente 100-130 calorias, ela acabou caindo no gosto do público que está mais preocupado com a saúde, menos consumo de álcool, baixa ingestão de calorias e glúten free.

Topo Chico

Recentemente, a Coca-Cola anunciou sua entrada no segmento com a Topo Chico. No Brasil, temos a presença da AB Inbev com a introdução da marca Mike’s Hard Sparkling Water, além de desenvolver uma nova marca para o mercado brasileiro chamada Isla. Em Santa Catarina, tem a Joví, que se intitula a primeira hard seltzer brasileira, e as microcervejarias artesanais, como a carioca Three Monkeys com a Hintz.

Gin

Outro queridinho das mulheres é o gin, pois tem 263 calorias, é refrescante, sem açúcar, bastante aromático e com muita versatilidade na execução do drink. O melhor são as suas infinitas possibilidades de infusões: ervas, flores, frutas, raízes e especiarias. “Minha sugestão para o gin é o Larios, o número 1 da Espanha, com toques cítricos e pegada tropical. O Larios começou a ser vendido no Brasil no ano passado e está disponível nos rótulos Dry, 12 e Rose, esse último com infusão de morango em sua composição”, detalha a Brand Experience e especialista em destilados na Beam Suntory, Paula Limongi (foto).

Uísque
Existem também a paixão das ladies pelo uísque, que tem em média 129 calorias. “Tem pra todos os gostos: desde os florais e frutados até o defumados e secos. São mais de 1.500 na Escócia e se optar pelos bourbons americanos, a caloria cai para 105”, pontua. Muitos drinques à base de uísque já ganharam o paladar feminino, como o High Ball, refrescante, elegante e, segundo a especialista, perfeito para um happy hour. De acordo com Limongi, especialmente conhecido nos Estados Unidos, Inglaterra e Japão, basta adicionar uma bebida gasosa - de preferência zero calorias - e um sumo de limão, que é sucesso. No Recife, podemos encontrar a mistura no Pina Cocktails, Seu Tito e Alpahiate.

Paula Limongi é especialista em destilados

Sugestões
“Os rótulos que amo e indico são Maker’s Mark, um bourbon artesanal e chique; o japonês The Chita, de uma elegância ímpar, e o nosso bom e velho Teacher’s, que agora é 100% importado e tem um sabor mais defumado e marcante para nós, que somos Girl Power”, afirma Paula, que é beersommelier e especialista em destilados .

 

 

 

Veja também

Estudos afirmam que variante britânica do coronavírus não aumenta a gravidade da doença
Pandemia

Estudos afirmam que variante britânica do coronavírus não aumenta a gravidade da doença

Saúde investiga morte de adolescente de 17 anos por Covid-19 em Pernambuco
Coronavírus

Saúde investiga morte de adolescente de 17 anos por Covid-19 em Pernambuco