População LGBT de presídio pernambucano conta com espaços específicos, profissionalização e humanização

A diretora de Promoção de Direitos LGBT do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos,  Marina Reidel (foto), esteve no Presídio de Igarassu para conhecer a ala LGBT e o Espaço Cultural da unidade, referência nacional sobre o tema. "Pernambuco é notadamente um dos estados que mais trabalham a questão da população LGBT nos presídios, oferecendo espaços específicos, profissionalização e humanização de forma sistemática", diz o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

LGBT

O PIG é referência no acolhimento ao público LGBT em Pernambuco, com uma ala específica para o segmento, e o Espaço Cultura, onde são realizadas diariamente diversas atividades profissionalizantes voltadas para as pessoas privadas de liberdade (PPLs). Os dois ambientes dispõem de estrutura física adaptada para o acolhimento humanizado das PPLs.

Ressocialização

“O Presídio de Igarassu possui um modelo de projeto de ressocialização que pode dar certo em outros locais. As pessoas olham para cá como um lugar que não sai nada de positivo e quando conhecemos, vemos que é possível as pessoas saírem com outra perspectiva de vida e dias melhores”, afirmou Reidel. Estiveram presentes também a representante da Coordenadoria LGBT da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Natasha Amanda Lima da Silva e o gerente da unidade prisional, Charles Belarmino.

Visit Macaxeira

Inspirado nos perfis de redes sociais mundo afora voltados para o turismo criativo, o morador e apaixonado pelo seu bairro, Felipe Barbosa, criou o https://www.instagram.com/visitmacaxeira/. De base comunitária, o perfil aborda apresentações culturais, shows, dia a dia dos moradores com suas histórias e as belezas do bairro da Macaxeira pelas lentes do fotógrafo Max Levay.

Clarice Lispector
Hoje rola o terceiro de uma sequência de eventos virtuais em homenagem ao centenário de Clarice Lispector, intitulado, “Clarice Lispector 100 anos – A paixão segundo…”, organizados pela Coordenadoria de Literatura, vinculada à Gerência de Política Cultural, da Secult-PE. As convidadas desta edição serão a professora, atriz e biógrafa, Teresa Monteiro e a cineasta, Taciana Oliveira. O evento virtual será transmitido no canal oficial da Secult-PE/Fundarpe no YouTube, https://www.youtube.com/user/SecultPE, às 20h.

Para os surdos

Sábado (26/09) é Dia Nacional do Surdo. Entre tantos desafios no dia a dia, é importante destacar que, quem tem surdez ou algum tipo de deficiência comprovada, pode ter direito a uma aposentadoria especial. Ou seja, a pessoa poderá se aposentar mais cedo e com tempo menor de contribuição. Isso graças à Lei 142/2013, que permite esse direito à pessoa com esta deficiência. 

INSS
“Mas esse benefício vai depender do grau de deficiência: se é leve, moderada ou grave, conforme avaliação do INSS, que verifica a data de início, por exemplo, se é desde nascença, foi motivada por algum acidente ou houve evolução clínica, por exemplo. É válido lembrar que aposentadoria para surdos não deve ser confundida com aposentadoria por invalidez – não importa qual o grau da deficiência auditiva”, explica o advogado especialista em Direito Previdenciário do Escritório Reis & Pacheco Advocacia, Kéops Mendes.