Documentário da AppleTV+ é o retrato da saúde mental na pandemia

Documentário abre debate sobre saúde mental antes, durante e depois da pandemia - Divulgação

Desde que a pandemia do novo coronavírus se espalhou pelo mundo, o audiovisual desenvolve documentários e especiais sobre os vários ângulos do tema, a maioria deles disponíveis em plataformas de streaming. É o caso da mais recente “The Me You Can’t See” (no português, “O meu lado invisível”), que estreou em maio deste ano para assinantes da AppleTV+. 

Criada e produzida pela apresentadora Oprah Winfrey e pelo príncipe e duque de Sussex, Harry, o documentário mergulha fundo no universo da saúde mental, explorando a importância do cuidado, tratamento, tipos e outros aspectos do assunto, principalmente nos tempos de pandemia onde tudo foi maximizado com o distanciamento social e a quarentena. 

Traumas em famosos e anônimos 

Se você já ouviu falar do documentário, com certeza foi com alguma revelação feita por famosos durante os episódios. Por muitos anos e até hoje encontramos estigmas sobre saúde mental, o trabalho de psicólogos, terapeutas e psiquiatras ainda são colocados em dúvida ou desmerecidos. Afinal, como o título sugere, o problema não é visível e os sintomas quase sempre ignorados.

Trazer famosos com disponibilidade de narrar seus traumas é, primeiramente, tirar a capa da “perfeição” e endeusamento que vem com a popularidade. É mostrar que mesmo as estrelas, no topo do mundo, não estão isentos de passar por traumas. Segundo, serve de isca para que o público confira o documentário. E uma vez que os telespectadores dão o play, também são apresentados a pessoas comuns, do dia a dia, iguais ao público no anonimato e, quem sabe, com o mesmo problema emocional. São histórias emocionantes.

A própria Oprah começa afirmando que foi estuprada pelo primo na infância. O príncipe Harry, que divide vários momentos com a apresentadora, também faz relatos sobre seu luto após a morte de sua mãe, a princesa Diana, e o abuso de drogas durante anos antes de decidir se afastar da família real. A cantora e atriz Lady Gaga também estreia o episódio piloto, desabafando sobre a vez em que, aos 19 anos, um produtor a manteve no estúdio trancada, estuprou e a largou na rua grávida. Ainda participam do documentário a atriz Glenn Close e Zachary Pym Williams, filho do ator Robin Williams, que cometeu suicídio em 2014, ambos contando como dão o suporte necessário para suas famílias. 

Outros relatos igualmente emocionantes chegam de pessoas anônimas, como o caso do garoto que viu sua irmã morrer na Síria, vítima de uma bomba no parque onde outras crianças brincavam. Também conhecemos uma jovem que vive com o diagnóstico de esquizofrenia, narrando que vive uma vida relativamente normal, ainda que haja preconceitos sobre o tema.

Compartilhar é poderoso

“The Me You Can’t See” é um bom exemplo de quando o audiovisual presta um serviço. Neste caso, além de contar histórias reais, pode ser um guia para aqueles que se veem sem esperança. Entre as mensagens e conselhos que o documentário passa a diante, é importante ressaltar algumas verdades: questões mentais são silenciosas e, para que haja cura, é preciso quebrar o silêncio, dizer em voz alta, reconhecer o problema. Pedir ajuda é um ato de coragem, compartilhar é um passo poderoso e não é sinal de fraqueza. Não há uma única maneira de cura, somos pessoas acima de sermos meros pacientes, descobrir o que funciona leva tempo. Ninguém se cura sozinho, apoio é fundamental.

Os seis episódios do documentário estão disponíveis na AppleTV+. Veja o trailer:

*Fernando Martins é jornalista, escritor e grande entusiasta de produções televisivas. Criador do Uma Série de Coisas, escreve semanalmente neste espaço. Acesse o Portal, Podcast e redes sociais do Uma Série de Coisas neste link

*A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

Veja também

Azul vai usar 'carro voador' para competir com helicóptero no Brasil
Tecnologia

Azul vai usar 'carro voador' para competir com helicóptero no Brasil

TSE mira Bolsonaro e abre inquérito para apurar acusações de supostas fraudes nas urnas
Investigação

TSE mira Bolsonaro e abre inquérito para apurar acusações de supostas fraudes nas urnas