1.0, 1.4, 1.6: saiba a diferença entre as cilindradas e qual se encaixa em seu perfil

Saiba a melhor cilindrada para o seu perfil de condução - Pixabay

Uma das primeiras especificações perguntadas ao comprar um carro é sobre a cilindrada do motor. As mais vistas nas ruas e concessionárias são as 1.0, 1.4 e 1.6. Mas, além dos números, você sabe para que serve essa classificação e qual a diferença de um carro com motor 1.0 para um 1.6, por exemplo? 

Existe um senso comum de que quanto maior a cilindrada, maior a velocidade alcançada pelo veículo e maior o consumo de combustível. Apesar de haver relação, essa afirmação não está 100% correta. “1.0, 1.4 e 1.6 têm a ver com a cilindrada do motor. Ou seja, o volume aspirado na câmara de combustão. Quanto maior for esse número, maior o volume de ar aspirado. Normalmente, quanto maior for o número de ar aspirado, maior também o volume de combustível injetado. Mas cabe ressalvas. Atualmente possuímos tecnologias na injeção eletrônica que são elaboradas visando a economia de combustível e a redução de emissão de poluentes. Hoje a gente tem carros com cilindrada alta que podem oferecer um consumo de combustível muito próximo a carros 1.0 também”, explicou o docente do Senai/PE, Anderson César Lira. 

A tecnologia desenvolvida atualmente também permite que carros com baixa e alta cilindrada tenham performances parecidas. “Quanto maior a cilindrada, maior o volume de aspiração e maior a expansão dos gases. Então, naturalmente, um carro 1.4 ou 1.6 tem um torque na potência maior do que um carro 1.0. Isso, porém, não é regra. Hoje existem carros 1.0 turboalimentados com injeção direta que oferecem torque e potência parecida a do carro 1.6 e com consumo de combustível, em algumas situações, reduzido”, ressaltou Anderson.

Também há uma teoria de que os carros com motor 1.0 são mais recomendados para o trânsito urbano, enquanto os que possuem cilindrada maior têm melhor consumo e performance nas autoestradas. Isto é, de uma forma geral, verdade devido ao estilo de condução do veículo – nas cidades, o tráfego é mais lento, e nas rodovias, mais rápido e com mais ultrapassagens.

Como o preço dos combustíveisestá elevado, é importante que o motorista busque um carro que esteja alinhado com o seu perfil de condução para que isso não pese no seu bolso. 

“Um consumidor que utiliza muito o trânsito urbano, recomenda-se que ele adquira um carro 1.0, com três ou quatro cilindros. Se o motorista deseja ter mais performance em saídas e arrancadas e que o carro tenha menos ruídos, a opção é um veículo 1.0 turboalimentado. Agora, se a pessoa dirige frequentemente em autoestrada, o ideal é comprar um carro 1.6. Já os automóveis com 1.4 e 1.3 cilindradas são intermediários, não vão ter uma potência tão baixa, mas também não chegam a um carro de alto potência”, sugeriu o docente do Senai/PE. 

Mas, independente da cilindrada do veículo, uma dica para economizar combustível e também evitar avarias é checar o manual do proprietário. Lá estão dispostas todas as orientações necessárias para o bom funcionamento do automóvel. 

 

Veja também

Louzer elogia Betinho e lamenta “distância” entre setores em derrota
Futebol

Louzer elogia Betinho e lamenta “distância” entre setores em derrota

Atlético-MG perde para o Ceará em noite de falhas de Everson
Futebol

Atlético-MG perde para o Ceará em noite de falhas de Everson