Celulite Facial: Entenda riscos e tratamento da doença

Roberta Souza, cirurgiã bucomaxilofacial do Hospital Jayme da Fonte, explica cuidados

Roberta Souza, Cirurgiã buco maxilo facial do Hospital Jayme da Fonte - Foto: Walli Fontenele/Folha de Pernambuco

A celulite facial é uma infecção bacteriana grave que pode comprometer rapidamente a saúde e o bem-estar do paciente. Apesar do nome similar, ela não está relacionada às celulites estéticas causadas pelo acúmulo de gordura sob a pele.

Causas
De acordo com a cirurgiã bucomaxilofacial do Hospital Jayme da Fonte, Roberta Souza, essa patologia afeta as camadas mais profundas da pele e os tecidos subcutâneos do rosto, geralmente resultando em dor intensa e inchaço.

“A maioria dos casos se origina de uma cárie dentária não tratada, que pode evoluir com a formação de bactérias que atingem os tecidos da polpa dental, provocando necrose,” detalha.

A partir desse processo, as bactérias podem se disseminar no organismo, alcançando a camada óssea e progredindo para os tecidos moles da face, resultando na celulite facial.

"Além da cárie não tratada, doenças periodontais, traumas ou procedimentos dentários, como a extração de dente ou tratamento de canal, também podem contribuir para o desenvolvimento da doença," explica a médica.

Prevenção

A melhor forma de evitar o surgimento da celulite facial é estabelecer uma rotina de higiene adequada, mantendo a pele limpa e cuidando de pequenos ferimentos conforme orientações profissionais.

Os sintomas mais comuns incluem inchaço na face, com aspecto endurecido e avermelhado, frequentemente acompanhado de febre e dor. Em casos mais graves, a especialista explica que o paciente pode sentir dificuldade para respirar, engolir e falar.

Com o agravamento do diagnóstico, as complicações podem provocar comprometimento das vias aéreas e de estruturas vitais do organismo, como o coração, mediastino e cérebro.

Tratamento

O tratamento da celulite facial requer atenção médica imediata para evitar complicações mais sérias, como abscessos ou disseminação da infecção para outras partes do corpo.

Em casos leves, o uso de antibióticos e analgésicos pode ser eficaz para combater as dores e a infecção. No entanto, em situações mais críticas, pode ser necessário recorrer a abordagens cirúrgicas. É fundamental consultar um médico para avaliação e orientação específicas.

“Em casos graves, é preciso realizar a drenagem cirúrgica com remoção da causa. Se o paciente estiver com dificuldade extrema de respirar, causada pela obstrução das vias aéreas, também pode ser preciso uma traqueostomia”, alerta Roberta.

Apesar da complexidade do quadro, o cuidado com a saúde bucal e os bons hábitos de higiene são suficientes para evitar o aparecimento da celulite facial.

Veja a entrevista completa da especialista no podcast Canal Saúde

Veja também

Homem morto em atentado contra Donald Trump é identificado, diz governador da Pensilvânia
ataque a tiros

Homem morto em atentado contra Donald Trump é identificado, diz governador da Pensilvânia

Serviço Secreto dos EUA nega acusações de que teria recusado proteção adicional para Donald Trump
comício na Pensilvânia

Serviço Secreto dos EUA nega acusações de que teria recusado proteção adicional para Donald Trump

Newsletter