Você conhece maneiras de prevenir o câncer no útero? Veja o que diz médico ginecologista

Waldemy Carvalho elenca formas de prevenção, a começar com uma alimentação saudável

Médico ginecologista do Hospital Jayme da Fonte, Waldemy Carvalho - Walli Fontenele/Folha de Pernambuco

O câncer no útero, também chamado de câncer uterino, é considerado raro no Brasil, tendo registro de menos de 150 mil casos por ano. O médico ginecologista Waldemy Carvalho (@drwaldemycarvalho), que integra o quadro de profissionais do Hospital Jayme da Fonte (@hospitaljaymedafonte), elenca maneiras de prevenir a condição, partindo da idealização de uma alimentação saudável, por conta da imunidade.

“Esse câncer pode estar no colo uterino ou dentro do corpo uterino, na cavidade uterina, que é onde está o endométrio. Tem o câncer do colo do útero e o câncer do endométrio. Então, é bom distinguir. Aquelas mulheres que têm sexo com múltiplos parceiros, que não se preocupam com a higiene dela nem do parceiro, que não têm a alimentação saudável e, principalmente, as que procuram menos o médico ginecologista, são mais propensas a terem mais patologias”, diz.

Ele diz que a contaminação por HPV, que é a sigla em inglês para Papilomavírus Humano, é a principal causa do diagnóstico. E explica o que pode ser feito, em passo a passo, a partir da confirmação. 

Médico ginecologista do Hospital Jayme da Fonte, Waldemy Carvalho | Foto: Walli Fontenele/Folha de Pernambuco

“O principal fator é o HPV. Por isso, quando há suspeita, se faz um exame. Uma das principais coisas é a biópsia, onde vai confirmar. Na maioria das vezes, dependendo do estágio, se faz a retirada do segmento e cura o paciente, a não ser que esteja em estágio avançado”, frisa, antes de reforçar a recomendação de utilização de preservativos em relações sexuais para também se proteger da transmissão do HPV.

“A camisinha não só tem a vantagem de evitar gravidez”, salienta.

Dentre os sintomas, ele destaca dois. “Geralmente, essas pacientes têm alguma queixa. Sangramento ou dor pélvica. Aí, tem que saber, através dos exames, em qual estágio está”, afirma.

Médico ginecologista do Hospital Jayme da Fonte, Waldemy Carvalho | Foto: Walli Fontenele/Folha de Pernambuco

De forma paralela ao desenvolvimento ou não dos sintomas, é indicado que exames de ultrassonografia e preventivo sejam atualizados a cada 12 meses. A recomendação vale para quem tem útero e vida sexual ativa.

“Todas as mulheres que têm atividade sexual devem fazer o exame preventivo anualmente. Isso aí, sem dúvida, é o mais importante para detectar precocemente o câncer. A colposcopia e citologia vai mostrar a suspeita do câncer de colo uterino e de vagina. O de endométrio aparece com a ultrassonografia vaginal, que é mais precisa e mais próxima”, conclui.

 

Veja também

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - EDITAL

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - EDITAL

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - BALANÇO

SELF IT ACADEMIAS HOLDING S.A. - BALANÇO

Newsletter