Cultura+

34ª Bienal de São Paulo anuncia mais três artistas e lança endereço virtual

Obras e trajetórias dos 31 artistas participantes anunciados podem ser conhecidos no site bilíngue que a Bienal inaugura também agora

Bienal do Livro no Rio de JaneiroBienal do Livro no Rio de Janeiro - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Bienal de São Paulo anunciou, nesta terça-feira (12), mais três artistas que participarão da sua 34ª edição. São eles Carmela Gross, Daniel de Paula e Gustavo Caboco. Com isso, são 31 os nomes conhecidos da mostra, cerca de um terço de um total de 90, segundo a organização.

Carmela Gross é veterana do evento, já tendo participado de outras sete edições -a primeira delas em 1967 e a última, em 2002. A paulistana é conhecida por articular arquitetura e história, com trabalhos em grande escala que ocupam o espaço urbano e tensionam relações com o público.

Nascido em Boston, nos Estados Unidos, Daniel de Paula discute temas parecidos, ao pensar como a arquitetura e o espaço reproduzem dinâmicas de poder. Ele já teve obras expostas em algumas das instituições de arte mais tradicionais de São Paulo, como o Masp, a Pinacoteca, o MAC-USP o Centro Cultural São Paulo, o CCSP.

Leia também:
Bienal do Livro de Pernambuco realizará festival virtual
Coronavírus fez mercado de livros perder metade do faturamento em abril


Completa o trio o curitibano Gustavo Caboco, indígena do povo Wapichana. Embora sua mãe tenha nascido na aldeia Canuanim, em Roraima, ele só conheceu o local aos dez anos de idade. Sua obra é, então, uma tentativa de se conectar com as suas raízes indígenas, ao mesmo tempo em que busca amplificar a voz de seus pares.

Obras e trajetórias dos 31 artistas participantes anunciados podem ser conhecidos no site bilíngue que a Bienal inaugura também agora. O endereço ainda reúne uma programação atualizado de eventos relacionados à mostra, materiais educativos e publicações, entre outros. A lista completa de artistas da 34ª Bienal será divulgada entre maio e junho, segundo a organização.

Com o tema "Faz Escuro mas Eu Canto", a mostra coletiva desta edição estava prevista para começar em 5 de setembro. Por causa da pandemia do novo coronavírus, foi encurtada em um mês, e adiada para o período entre 3 de outubro a 13 de dezembro de 2020.

As mostras individuais da brasileira Clara Ianni e da americana Deana Lawson que ocupariam o Pavilhão da Bienal, no parque Ibirapuera, em abril e em junho, nesta ordem, também foram suspensas.

Veja também

Quase dois meses após acidente, Rodrigo Mussi fala sobre sua recuperação ao Fantástico
Entrevista

Quase dois meses após acidente, Rodrigo Mussi fala sobre sua recuperação ao Fantástico

Hora de se divertir: confira a agenda cultural deste final de semana
Roteirão

Hora de se divertir: confira a agenda cultural deste final de semana