34ª Bienal de São Paulo anuncia mais três artistas e lança endereço virtual

Obras e trajetórias dos 31 artistas participantes anunciados podem ser conhecidos no site bilíngue que a Bienal inaugura também agora

Bienal do Livro no Rio de JaneiroBienal do Livro no Rio de Janeiro - Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

A Bienal de São Paulo anunciou, nesta terça-feira (12), mais três artistas que participarão da sua 34ª edição. São eles Carmela Gross, Daniel de Paula e Gustavo Caboco. Com isso, são 31 os nomes conhecidos da mostra, cerca de um terço de um total de 90, segundo a organização.

Carmela Gross é veterana do evento, já tendo participado de outras sete edições -a primeira delas em 1967 e a última, em 2002. A paulistana é conhecida por articular arquitetura e história, com trabalhos em grande escala que ocupam o espaço urbano e tensionam relações com o público.

Nascido em Boston, nos Estados Unidos, Daniel de Paula discute temas parecidos, ao pensar como a arquitetura e o espaço reproduzem dinâmicas de poder. Ele já teve obras expostas em algumas das instituições de arte mais tradicionais de São Paulo, como o Masp, a Pinacoteca, o MAC-USP o Centro Cultural São Paulo, o CCSP.

Leia também:
Bienal do Livro de Pernambuco realizará festival virtual
Coronavírus fez mercado de livros perder metade do faturamento em abril


Completa o trio o curitibano Gustavo Caboco, indígena do povo Wapichana. Embora sua mãe tenha nascido na aldeia Canuanim, em Roraima, ele só conheceu o local aos dez anos de idade. Sua obra é, então, uma tentativa de se conectar com as suas raízes indígenas, ao mesmo tempo em que busca amplificar a voz de seus pares.

Obras e trajetórias dos 31 artistas participantes anunciados podem ser conhecidos no site bilíngue que a Bienal inaugura também agora. O endereço ainda reúne uma programação atualizado de eventos relacionados à mostra, materiais educativos e publicações, entre outros. A lista completa de artistas da 34ª Bienal será divulgada entre maio e junho, segundo a organização.

Com o tema "Faz Escuro mas Eu Canto", a mostra coletiva desta edição estava prevista para começar em 5 de setembro. Por causa da pandemia do novo coronavírus, foi encurtada em um mês, e adiada para o período entre 3 de outubro a 13 de dezembro de 2020.

As mostras individuais da brasileira Clara Ianni e da americana Deana Lawson que ocupariam o Pavilhão da Bienal, no parque Ibirapuera, em abril e em junho, nesta ordem, também foram suspensas.

Veja também

Filme de Bob Cuspe, personagem de Angeli, leva prêmio em Annecy
Premiação

Filme de Bob Cuspe, personagem de Angeli, leva prêmio

Recém-casada, Solange Almeida diz que quer ser mãe novamente: 'Não vejo a hora'
Maternidade

Recém-casada, Solange Almeida diz que quer ser mãe novamente: 'Não vejo a hora'