A mágica experimentalista da Deerhoof embala o Molotov

Greg Saunier, baterista da banda que tem 22 anos de estrada, fala sobre o momento atual da carreira do grupo

Líder do Governo, Isaltino Nascimento (PSB)Líder do Governo, Isaltino Nascimento (PSB) - Foto: Roberto Soares/Alepe

Quarteto atualmente formado por Greg Saunier, Satomi Matsuzaki, John Dieterich e Ed Rodríguez, a banda norte-americana Deerhoof tem 22 anos de estrada, mas somente agora faz sua primeira turnê pelo Brasil. Depois de se apresentar em Belo Horizonte e São Paulo, o grupo encerra sua passagem pelo País neste sábado (22), quando se apresenta no festival No Ar Coquetel Molotov, que ocorrerá na Coudelaria Souza Leão, na Várzea, a partir das 13h.

Cultuada no circuito independente como uma das bandas mais inventivas da música mundial, a Deerhoof ficou conhecida pelo experimentalismo ao combinar segmentos musicais como o noise, punk rock e pop. Com 17 discos na bagagem, o grupo traz para Recife a turnê do álbum “The Magic” pouco antes de iniciar uma temporada de shows em que fará a abertura para o Red Hot Chili Peppers. Em entrevista para a Folha de Pernambuco, o baterista e fundador do grupo Greg Saunier falou sobre o momento atual da Deerhoof:

Entrevista - Greg Saunier (baterista)

Já ouvi dizer que você gosta do Quinteto Violado. Como conheceu essa banda? Está curioso para conhecer outros artistas de Pernambuco?

Eu não diria que eu gosto do Quinteto Violaro, eu diria que eu amo o Quinteto Violado. Sou obcecado pela música deles há muitos anos. Nos nossos concertos, sempre toco as gravações deles através do sistema de PA entre as bandas. O álbum “Antologia do Baião” (1977) é o meu favorito. Cada música é uma mistura de várias canções, algumas originais, outras covers. A rapidez na transição dos momentos é uma grande influência no estilo de composição da Deerhoof.

Como foram os shows no Brasil até agora e o que podemos esperar para o Recife?

É a nossa primeira vez em Recife, então não temos expectativas. Não sei se alguém irá ao show, mas já tocamos em Belo Horizonte e São Paulo e o público realmente nos surpreendeu. As pessoas não têm vergonha de dançar. Escutam atenciosamente. Mesmo quando nunca ouviram a Deerhoof, conseguiram cantar junto no refrão!

Depois de mais de 20 anos como banda, agora vocês vão abrir para Red Hot Chilli Peppers, que tem um público bem diferente do seu. É um grande desafio? Você acha que isso contribui com o grupo?

Tocar antes de grandes bandas não é tão diferente de tocar em festivais, como o Coquetel Molotov. A maioria do público nunca ouvia sua música antes. Eu amo o desafio de tentar ganhar a atenção e coração de um novo ouvinte que escuto um tipo diferente de música. É um bom teste.

A maioria dos artistas levam anos para lançar novos álbuns, enquanto a Deerhoof lança mais de um por ano. A que se deve a espontaneidade criativa da banda?

Não somos uma banda tão famosa. Fazemos turnês, por isso sobrevivemos, mas turnê é melhor quando temos pessoas escrevendo sobre nós, como você está fazendo. Nos Estados Unidos isso acontece se você tiver um escândalo ou um novo disco. Preferimos lançar discos. Temos quatro compositores na banda, então não faltam ideias.

Somente em 2016 foram lançados “Balter/Saunier” e “The Magic”. Vocês vão priorizar algum trabalho aqui em Recife?

A música de “Balter/Saunier” consiste em duas peças. O compositor brasileiro Marcos Balter escreveu uma peça para ser tocada pela Deerhoof e o grupo clássico Dal Niente. E eu escrevi a peça para grupo clássico. Quando a Deerhoof sai em turnê é impossível tocar qualquer uma das duas, mas minha peça (“Deerhoof Chamber Variations”) tem sido tocada por muitos grupos diferentes pelo mundo. Em Recife, vamos tocar novas e velhas músicas, mas especialmente do disco mais novo “The Magic”.

Veja a programação completa do Festival No Ar Coquetel Molotov:

Abertura dos portões: 13h

Palco Sonic 15h30 – Luneta Mágica (AM)
16h40 – AMP (PE)
17h40 – Los Nastys (Espanha)
18h50 – Rakta (SP)
20h00 – Barro (PE) com part. especial de Juçara Marçal (SP)
21h10 – Jaloo (PA)
22h10 – Vogue Fever: Recife (Duelo de Vogue)
23h10 – Ventre (RJ)
00h20 – Deerhoof (EUA)
01h40 – Museu do Tubarão (PE)
03h00 – Plectro Arts apresenta: Phalanx Formation (PE) – Live show & DJ set

Palco Velvet 17h00 – Tagore (PE)
18h10 – Baleia (RJ)
19h20 – Moodoid (França)
20h40 – Boogarins (GO)
22h50 – Céu (SP)
00h10 – Karol Conka (PR)
01h40 – Baianasystem (BA)

Som na Rural 20h30 – Jonathan Wolpert
22h00 – PRK
23h30 – Cleiton Rasta
01h30 – DJ Mozaum
+ Palco Aeso

Veja também

SP terá estátua de Tebas, o homem escravizado que comprou sua liberdade como arquiteto
Arte

SP terá estátua de Tebas, o homem escravizado que comprou sua liberdade como arquiteto

Zé Neto compartilha foto sem camisa e mostra perda de peso
famosos

Zé Neto compartilha foto sem camisa e mostra perda de peso