A terra Prometida: Agora é a hora de se centrar na trama

Longas cenas de ação, texto pobre e momentos soltos exibem o desequilíbrio de ‘’A Terra Prometida”, da Record

Deadpool 2Deadpool 2 - Foto: Internet / Reprodução

 

Cenas grandiosas são o maior chamariz de produções épicas. Investindo pesado nesse “filão”, a Record vem caprichando nas cenas mais complexas de “A Terra Prometida”.

No entanto, uma novela não se faz só de boas sequências de batalhas e sacrifícios. É preciso ter apelo dramático para segurar um público ávido por boas histórias. Quando as adaptações bíblicas eram feitas apenas no formato de minisséries, o desenvolver da história tinha uma cadência mais bem dividida entre ação, dramas, humor e romantismo.

 Agora, tendo de encarar a longa duração de uma novela, a produção se perde em seu texto enfadonho e pobreza das cenas mais cotidianas.
A assinatura de Alexandre Avancini já se mostrou forte em tramas como “Vidas em Jogo” e no sucesso “Os Dez Mandamentos”. Mesmo com tropeços pela disparidade entre ideias e recursos para produção, o diretor se sai bem trabalhando com o orçamento que tem em mãos. Em “A Terra Prometida” parece existir um desequilíbrio, onde a maior parte do dinheiro foi concentrada nas cenas externas e quase nada sobrou para os estúdios e cidade cenográfica. São cenários pequenos e com direção de arte superficial.

A iluminação – talvez o maior problema de todas as tramas produzidas pela Record – apela para sombras e contrastes com o intuito de esconder detalhes, mas acaba não valorizando a imagem. O resultado final fica ainda mais constrangedor com o tom artificial da atuação de grande parte dos atores envolvidos no projeto, inclusive, dos protagonistas Sidney Sampaio e Thais Melchior.

Com a trama entrando em seu terceiro mês de exibição, a grande maioria das cenas mais bem produzidas já foi ao ar. Agora, o que se apresenta é uma infinidade de pequenas histórias românticas nada atraentes. É aí que a relação ambígua de Kalesi e Marek, de Juliana Silveira e Igor Rickli, se destaca. Com chances de ser esticada e com muita história para contar, “A Terra Prometida” precisa urgentemente encontrar uma forma mais interessante de apresentar as tramas paralelas de forma convincente, até porque, não é todo dia que o roteiro apresenta areias movediças, milagres ou mares se abrindo.

 

Veja também

Com 'Desalma', Globoplay aposta em drama sobrenatural
Streaming

Com 'Desalma', Globoplay aposta em drama sobrenatural

Netflix faz campanha para Chadwick Boseman ser indicado ao Oscar em 2021
Oscar 2021

Netflix faz campanha para Chadwick Boseman ser indicado ao Oscar