A-A+

Artes Visuais

Arte e acessibilidade: artistas e galerias mostram que arte pode ser barata

O artista Luca Delmas e os galeristas Claudia Aires e Guga MarquesO artista Luca Delmas e os galeristas Claudia Aires e Guga Marques - Fotos: Acervo Pessoal e Sâmia Emerenciano

Seja em um leilão de obras raras ou em novas peças de artistas clássicos, frequentemente o alto valor de obras de arte é colocado como uma seara de consumo para quem quer se inserir nesse mercado. Nos últimos anos, o interesse dos mais jovens em se conectar com os artistas locais, aliado ao baixo custo de produção, tem aumentado as vendas e compras de peças com preços mais acessíveis. Em uma vasta gama de novos trabalhos artísticos, os novos consumidores podem fazer aquisições de painéis à fine art.

Mercado em crescimento

Sócia da galeria Nuvem, Claudia Aires explica que essa demanda cresceu em meio ao digital. “São obras criadas diretamente no computador e que podem ser comercializadas impressas - fine art, a laser e etc - em diversos tamanhos e tipos de papel”, conta. “Além dos suportes citados, impressões também podem ser feitas em canvas (telas), tendo o mesmo aspecto visual, depois de emolduradas, de um quadro comum. Esse tipo de produto é comercializado por um valor mais acessível - por ser uma reprodução -, comparado a um trabalho original e único”, complementa citando o graffiti.

Ser digital não significa que o colecionador ou consumidor possa adquirir a arte com qualquer pessoa ou empresa. “O futuro colecionador deve sempre adquirir trabalhos de empresas já conhecidas e com credibilidade no mercado de arte. Com a febre das vendas online, que cresceram muito com o advento da pandemia, muitas galerias virtuais apareceram abruptamente no cenário local e nacional”, enfatiza.

Também sócio da galeria, Guga Marques, recomenda passos para saber se a arte digital é original do artista comprado. “Um jeito fácil de garantir que o produto que você está adquirindo (obra, print, gravura e afins) é mesmo original, ou licenciado pelo artista, é perguntar ao próprio. Todos têm presença online e são muito ativos nas redes sociais, principalmente no Instagram. Certamente, o próprio ou a sua assessoria responderá rapidamente, dissipando qualquer dúvida”, conta ele.

Direto do artista

Essa relação da arte com o digital está presente até nos novos processos artísticos. O pernambucano Luca Delmas, de 26 anos, começou a vender arte a partir de camisetas, em 2015, para ingressar em outros processos. “Minha avó me deu a ideia de pintar e vender camisas. Na verdade, eu sequer tinha pintado. E aí tentei, comprei tinta e pincel, comecei fazendo testes… Rolou por um tempo, mas eu parei porque eu não estava curtindo tanto pintar camisa, já que era por encomenda e pessoas pediam para fazer as artes que já tinham. E se fosse de outro artista, eu não fazia”, explicou o artista.

Dividido entre o curso de Publicidade e o trabalho manual de artista, Luca chegou a dar uma pausa nas artes. A partir de um viral nas redes sociais, no fim de 2019, ele retomou mais fortemente com as peças. O trabalho, encomendado por uma agência local, envolvia uma cédula falsa com um tubarão representando a “República Federativa de Pernambuco”. A peça originou uma série com várias cédulas, com animais representando o Estado, a exemplo do cão caramelo e o caranguejo.

Embora tenha perfil nas redes, Luca tinha um contato frequente fisicamente com seus admiradores e consumidores de sua arte, o que foi impedido pela pandemia. Por causa disso, a ponte continuou sendo digital, inclusive na forma como faz seu trabalho. “Eu faço muita arte digital, como encomenda e ilustrações. Estou com um projeto futuramente de ter uma lojinha, para vender prints, os adesivos e outras artes”, conta ele, que vem experimentando outras formas desde que entrou no curso de Artes Visuais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Veja também

Demonização de Cosme e Damião por evangélicos dá corda para intolerância religiosa
Religião

Demonização de Cosme e Damião por evangélicos dá corda para intolerância religiosa

Nego do Borel é expulso de A Fazenda 13
FAMOSOS

Nego do Borel é expulso de A Fazenda 13