Brechós: peças diferentes, elaboradas e com preço acessível

Espaços como o Escambau Bazar e Mercado Criativo, ao lado do Biruta Bar, no Pina, apostam no consumo sustentável, em loja própria ou por redes sociais

Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE)Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) - Foto: Reprodução/Google Maps

 

A crise fez com que a empresária Vitória Araújo, uma das proprietárias do extinto Bar Biruta, no Pina, se reinventasse. Ela aproveitou o terreno do entorno do bar e, em parceria com a amiga Catarina Monteiro, na casa anexa ao restaurante, criou o Escambau Bazar e Mercado Criativo, um mix de brechó, espaço cultural e gastronômico. “Fizemos uma pesquisa e constatamos o crescimento do interesse das pessoas pelo consumo sustentável”, declara Vitória. Antes de abrirem o espaço físico, a dupla angariou um precioso acervo junto a amigas e conhecidas e realizou edições itinerantes. A primeira delas ocorreu em agosto passado, em um casarão antigo, no Poço da Panela. “Reunimos 800 peças de qualidade e vendemos tudo!”, recorda Vitória.

O sucesso deu ânimo para seguir em frente. Na pequena loja ocupada por araras e prateleiras, roupas semi-novas se unem a peças ainda com a etiqueta, de grifes de projeção nacional, como Animale, Farm, Le Lis Blanc e Espaço Fashion, com pegada contemporânea e retrô. “Temos roupas de R$ 5 mil à venda por R$ 600”, revela Vitória. Do lado de fora, um terraço ao ar livre convida o público a comer um petisco, tomar uma cervejinha, antes ou depois de fazer umas comprinhas. Amanhã, o espaço abre com pestiscos especiais, do Salamaleque Cozinha Árabe, das 15h às 21h. “A ideia é fazer um evento especial uma vez por mês, e trazer não somente roupas, mas também objetos de decoração, arte e livros”, adianta Vitória. Ela sugere ainda como um lugar para confraternizações de fim de ano, em que é possível escolher o presente e celebrar ao mes­mo tempo.

Normalmente, o Escambau funciona nas quartas e quintas-feiras, das 15h às 19h, e nas sextas-feiras, das 15h às 21h. Também é possível comprar pelo Facebook e Instagram.

Devido ao momento econômico difícil do Brasil, o espaço virtual tem sido a única alternativa possível para muitos brechós do Recife. Caso do Alfinete Brechó, do trio Rafaela e Tiago Moreira e Alga Falcão, que também vendem pelo Facebook e Instagram. “Sempre trabalhamos com moda, fazendo produção de desfiles, lookbook, e acumulamos um acervo gigante também realizando editoriais para o Polo Agreste”, conta Rafaela. Para não ficar somente no universo virtual, o jeito é realizar evento itinerantes vez ou outra, como o que ocorrerá, nos dias 12 e 13 de novembro, em que o público deve esperar sapatos de Gabi Fonseca e Santa Lolla, e roupas da Empório Armani e Maria Bonita Extra.

Já a figurinista, stylist e produtora Carol Monteiro, do Acervo Boutique, trabalha com brechó há 12 anos, e além de vender, também aluga, pois possui muitas roupas de época. A garimpagem, diz ela, é feita em viagens pelo mundo e pelo Brasil. Ela lembra que existia muito preconceito com a roupa usada mas está caindo por terra. “Hoje muita gente curte uma roupa com modelagem diferente, elaborada e com preço acessível”, analisa Carol, que quando recebe a peça costuma lavar, consertar e ajustar de acordo com cada cliente. Carol também vende pelas redes sociais.

Serviço
Escambau Bazar e Mercado Criativo - (81) 98249-9312/ Instagram: escambaubazar/ Facebook: http://bit.ly/2eS2PiB

Alfinete Brechó - (81) 99641-3657/ Instagram: alfinetebrecho/ Facebook: http://bit.ly/2ew5lOz

Acervo Boutique - Instagram: acervoboutiquerecife/ Facebook: http://bit.ly/2ew4HAn

Agradecimentos à modelo das fotos: Maria Calife

 

Veja também

Festival de Telluride cancela edição de 2020 por causa do coronavírus
Coronavírus

Festival de Telluride cancela edição de 2020 por causa do coronavírus

Ator diz ser filho de Francisco Cuoco e pede exame de DNA
famosos

Ator diz ser filho de Francisco Cuoco e pede exame de DNA