Cais do Sertão recebe a exposição 'Tengo Lengo Tengo'

Abertura da mostra, que retrata o universo da Missa do Vaqueiro, conta com o lançamento de biografia do padre João Câncio

Exposição 'Tengo Lengo Tengo'Exposição 'Tengo Lengo Tengo' - Foto: Francisco Andrade/Divulgação

Luiz Gonzaga e o padre João Câncio foram os responsáveis por criarem e divulgarem para o mundo a Missa do Vaqueiro de Serrita, que neste ano, chega à sua 49ª edição. Por uma curiosa coincidência, os dois morreram no mesmo ano, há três décadas. Para marcar a efeméride, foi criada a exposição "Tengo Lengo Tengo". A inauguração ocorre nesta quinta-feira (13), a partir das 18h, no museu Cais do Sertão, onde a mostra permanece em cartaz até o dia 27 de agosto.

Dividida em três seções, a exposição ocupa a Sala São Francisco, com curadoria de Rinaldo Carvalho. O público é recebido por projeções de vídeos e fotos que mostram o Sertão em seu período verde, quando a seca dá uma trégua e a vegetação volta a aparecer. O espaço seguinte é centrado na missa e na figura do vaqueiro, reproduzindo o cenário que envolve todo o evento, desde a parte sagrada até a festa profana.

A terceira e última parte, batizada de "A música que eleva as raízes", chama atenção para como a música do Rei do Baião se espalhou pelo Brasil. Entre as atrações interativas que o público poderá conferir, está um mapa localizando todas as Missas do Vaqueiro que acontecem no Sertão pernambucano. Também será possível, por meio de realidade virtual, conhecer um pouco de Exu, cidade de Gonzagão.

Leia também:
Recife receberá Missa do Vaqueiro de Serrita
Arte que rompe com a realidade em exposição no Recife


A mostra "Tengo Lengo Tengo" integra um projeto homônimo promovido pelo Governo do Estado. Ao longo do período em que a exposição estiver em cartaz, serão realizadas apresentações culturais e oficinas. No dia 16, às 16h, o vão livre do Cais do Sertão recebe uma reprodução fiel da missa.

Padre diferente

Durante a abertura da mostra, será lançado o livro "João Câncio, o padre vaqueiro" (R$ 30), do jornalista e escritor Vandeck Santiago. Através de texto e fotografias, a obra conta história do religioso que, em 1981, largou a batina para se casar com Helena Câncio.

"Sobre a Missa do Vaqueiro, já há bastante coisa escrita. O que eu queria era mostrar o ponto de vista das pessoas que participaram dessa história. O enredo parece ficção: um padre com sensibilidade para enxergar que o mundo vai além do seminário resolve fazer uma missa no meio da caatinga, em homenagem a um vaqueiro assassinado, que era primo de Luiz Gonzaga", adianta.

Entre os relatos que a obra traz, está o da primeira Missa do Vaqueiro, celebrada em julho de 1971. A cerimônia ocorreu no local onde o vaqueiro Raimundo Jacó tinha sido assassinado, em 1954. Escrita em forma de reportagem, a biografia foi construída com base em entrevistas com vaqueiros, amigos e familiares do padre, além de pesquisa em matérias de jornais publicadas entre 1970 e 1981. Com 120 páginas e mais de 60 imagens, o livro tem apoio cultural da Cepe. Toda a renda adquirida com a venda do livro será revertida para a Fundação João Câncio.

Serviço

Exposição "Tengo Lengo Tengo"
Quando: Abertura nesta quinta-feira (13), às 18h. Visitação de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos, das 13h às 17h
Onde: Centro Cultural Cais do Sertão (Av. Alfredo Lisboa, s/n, Bairro do Recife)
Quanto: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada), com gratuidade nas terças-feiras

Veja também

Jane Fonda receberá prêmio honorário do Globo de Ouro por seu ativismo social
Prêmio

Jane Fonda receberá prêmio honorário do Globo de Ouro por seu ativismo social

Festival Macuca das Artes acontece neste sábado
Festival

Festival Macuca das Artes acontece neste sábado