Caixa Cultural recebe projeto dedicado ao soul

Gênero da black music é interpretado por três artistas em shows que serão realizados no mês da Consciência Negra

Grupo se reuniu no escritório político do PSCGrupo se reuniu no escritório político do PSC - Foto: Divulgação

 

No mês da consciência negra, a Caixa Cultural recebe um projeto dedicado àquele que seria um dos gênero musicais mais significativos da black music, o soul. O projeto “Somos Soul”, que já teve edição também em outras cidades brasileiras como Rio de Janeiro, enaltece o ritmo trazendo shows de Lady Zu, nesta quinta (10), Negra Li, nesta sexta, e Simoninha, no sábado.

“O interessante desse projeto é que ele traz três gerações diferentes, três indicações diferentes do mesmo gênero, mas que de certa forma estão ligadas entre si”, opina Lady Zu responsável pela abertura do projeto. Tida como a “Donna Summer brasileira”, a ligação da cantora com a black music apareceu na época em que se lançou na disco music, nos anos 1970.

“Eu acho que o soul descobriu a disco music. A minha ligação com esse ritmo é a de todo brasileiro. Nós temos nossa música negra, como Cartola, Paulinho da Viola, Elza Soares. Mas a música americana ter entrado deu uma pitada diferente. A disco trouxe essa conotação da música negra com alma de rock”, opina a cantora. Em seu show serão apresentados sucessos de sua carreira como “A noite vai chegar” e “Hora de União”, que canta ao lado de Gerson King Combo, cantor expoente da música negra brasileira na década de 1960 junto com Wilson Simonal.

Negra Li que já cantou pop e rap, começou a se aventurar e a colocar referências da soul music em seu disco “Tudo de novo”, de 2012. Para ela, apesar de no Brasil termos muitos representantes da música negra, não somos expoentes do gênero. “Acho comum não haver espaço até porque não é da nossa cultura. Samba, MPB, sertanejo são os ritmos que estão no nosso sangue e é justo que eles sejam mais reconhecidos. O que é bom daqui é essa liberdade de misturar, aqui nada é puro”, afirma a cantora. No repertório do show ela apresenta canções de seus três CDs, além de músicas de artistas que tem como referência, como Killing Me Softly, de Lauryn Hill.

Simoninha apresenta seu álbum mais recente, lançado em 2013, “Alta Fidelidade”, que traz dez canções inéditas e autorais. Para o show estão previstas no repertório músicas como “Whats Going On” (Marvin Gaye), “Olhos Coloridos” (Sandra de Sá) e “Flor do Futuro” (Claudio Zoli), além de sambas e MPB.

História

O soul music é um gênero que surgiu na década de 1950 entre os negros dos Estados Unidos, influenciado pelo R&B e pelo gospel. Na terra do Tio Sam, ganhou projeção internacional por meio de nomes como Aretha Franklin, Ben E. King e Ray Charles. Na década de 1960 ele chegou ao Brasil, servindo de base para expoentes dessa música como Simonal, Tim Maia e Hyldon.

 

Veja também

Cartolouco pede Luiza Ambiel em namoro no palco do programa Hora do Faro
Reality Show

Cartolouco pede Luiza Ambiel em namoro no palco do programa Hora do Faro

Arnold Schwarzenegger passa por nova cirurgia cardíaca e diz que se sente fantástico
Celebridades

Arnold Schwarzenegger passa por nova cirurgia cardíaca e diz que se sente fantástico