A-A+

Carnaval do Rio começa com desfile do tradicional Cordão do Bola Preta

Em seu 102º ano, o bloco deve novamente atrair uma multidão para ouvir conhecidas marchinhas

Cordão da Bola Preta no Rio de JaneiroCordão da Bola Preta no Rio de Janeiro - Foto: Vitor Abdala/Agência Brasil

O primeiro dia de Carnaval já começará com grande público no Rio, com o desfile do tradicional Cordão da Bola Preta, no centro da cidade. Em seu 102º ano, o bloco deve novamente atrair uma multidão para ouvir conhecidas marchinhas, como "Mamãe eu quero" e "Quem não chora, não mama".

O Prata Preta, um dos maiores blocos da zona portuária, levará sambas históricos para a Gamboa, às 10h. Já está nas ruas na manhã deste sábado (22) o Céu na Terra, nas ladeiras de Santa Teresa, também no centro.

Os chamados pernas-de-pau darão o tom da Terreirada Cearense, às 14h, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, zona norte. Inspirado na cultura popular da região do Cariri, no Ceará, o bloco tem em seu repertório clássicos da música popular brasileira. Artistas circenses também costumam se apresentar.

Leia também:
Carro enrosca em fio, atrasa desfiles e cala Anhembi; Dragões e Império são destaques
Em Salvador, Preta Gil usa roupa inspirada em Oxum, Ivete Sangalo e Beyoncé


Às 17h, a agenda carnavalesca do dia começa a chegar ao fim com um dos blocos mais conhecidos da cidade: a Banda de Ipanema, na zona sul do Rio.

O cortejo saiu pela primeira vez em 1965, no contexto da ditadura militar, e foi uma das principais iniciativas da classe média da zona sul de organizar um Carnaval democrático de rua. O bloco, que já teve como padrinhos grandes nomes do samba, se dedica a tocar as tradicionais marchinhas.

São esperados, também, desfiles não oficiais. A prefeitura disse que não haverá repressão policial, mas que os organizadores serão multados.

As autoridades deram aval a 441 cortejos de 387 grupos (alguns desfilam mais de uma vez). É tradição local, contudo, a saída de vários deles, de forma espontânea ou planejada, sem autorização da prefeitura.

Veja também

Pamella Holanda diz não se sentir segura com soltura de DJ Ivis após 3 meses
Violência doméstica

Pamella Holanda diz não se sentir segura com soltura de DJ Ivis após 3 meses

"Diário da Tranca": a escrita como possibilidade de transformação pela arte
Livro

"Diário da Tranca": a escrita como possibilidade de transformação pela arte