racismo

Caso de homem negro espancado até a morte no Carrefour repercute entre famosos

Ludmilla, Thiaguinho, Preta Gil e Camila Pitanga estão entre os famosos que se pronunciaram através das redes sociais

A cantora LudmillaA cantora Ludmilla - Foto: Divulgação/Chico Cerchiaro

Diversos famosos lamentaram nesta sexta-feira (20), em que se celebra o Dia da Consciência Negra, a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, que foi agredido por seguranças em uma unidade do supermercado Carrefour, em Porto Alegre. O fato ocorreu na noite de quinta-feira (19).

"Queria poder dizer que é uma grande ironia um preto ser espancado até a morte bem às vésperas do Dia da Consciência Negra, mas não", avaliou a cantora Ludmilla. "Até quando vamos ter que lutar pra sobreviver como se não fosse um direito, apesar de todos os nossos deveres? Não há o que celebrar."

"O nome de hoje é João Alberto Silveira Freitas", disse a atriz Camila Pitanga. "Mais um homem negro morto. Mais uma família que perde um dos seus por conta da cor da pele. O negro sai para ir ao supermercado e não volta. É uma batalha eterna do nosso corpo contra o mundo. Um mundo que não nos quer, que não nos gosta, que não entende que ali é uma pessoa. Não entendeu e segue não entendendo."

"Que golpe no nosso povo!", disse o humorista Paulo Vieira. "Hoje não tem comemoração. Hoje tem só silêncio e uma pergunta que paira no ar: o que vamos fazer? Gostaria de lembrar que o que sai na mídia é a ponta do iceberg: só esse ano, o Carrefour Brasil matou um homem preto dentro de um dos seus supermercados, já demitiu uma funcionária que sofreu racismo (culpa da vítima?), cobriu com guarda-chuvas o corpo de um homem que passou mal e morreu dentro do mercado pra poder continuar vendendo, sem contar os inúmeros casos dos anos passados. Lembra do cachorro morto a pauladas lá? Desta vez foi um ser humano."

"Eu tava escrevendo um texto de conscientização... Mas aí chega um vídeo pra mim... E de novo, o sentimento que vem é o de revolta", escreveu o cantor Thiaguinho. "Parem de nos matar! Parem de matar nossos pais, mães, filhos e irmãos... Pelo amor de Deus!!!! Eu não aguento mais tomar porrada até morrer... Pqp, Mano! Que dor... E nós, pretos, não vamos mais aceitar isso e nós calar... Inclusive, temos que fazer mais... Não dá mais pra suportar isso. Eu não me sinto menos importante que ninguém nesse país... Pelo contrário... Então... vamos agir!"

"Aos brancos que se dizem aliados e que desfrutam dos holofotes da postagens que fazem, hoje seria um ótimo momento pra vocês não se calarem", publicou o ator Rafael Zulu. "Aguardo ansioso os posts de vcs que ainda não acreditam que todos os dias nos matam, e nos matam de todas as formas. Estou muito revoltado."

"Como acordar num país e falar do dia da Consciência Negra sabendo que mais um negro foi espancado até a morte em um supermercado? Assassinos!!!", afirmou a cantora Teresa Cristina.

"Eu até tinha preparado um feed todo lindo em celebração ao Dia da Consciência Negra, mas o racismo é tão perverso que não nos dá descanso nunca", disse Preta Gil. "João Alberto Silveira Freitas foi assassinado covardemente ontem à noite em um supermercado em Porto Alegre!!! Temos que cobrar justiça, sem justiça não há paz!!!"

"Acabei de assistir ao um vídeo onde seguranças espancaram até a morte um homem dentro do supermercado em Porto Alegre", disse o cantor Buchecha. A pergunta é: até quando? Homem dando de ombros. Meus sentimentos aos familiares. Mãos dadas. Estamos sofrendo gente, poxa."

Veja também

Mauricio de Sousa: desenho para Maradona não teve continuidade
Homenagem

Mauricio de Sousa: desenho para Maradona não teve continuidade

Fundação Banco do Brasil celebra 35 anos com apresentação do maestro João Carlos Martins
Concerto

Fundação Banco do Brasil celebra 35 anos com apresentação do maestro João Carlos Martins