A-A+

Cidadania italiana: quem pode obter

Para ter esse direito,é preciso ser filho, neto, bisneto ou até tataraneto de nascidos na Itália

ItaliaItalia - Foto: Reprodução/Pixabay

Você gosta muito de pizza? Curte macarronada? Chorou assistindo a "Terra Nostra" no Vale a Pena Ver de Novo? Pode parecer muito, mas isso não é o suficiente para pedir a cidadania italiana.

Brincadeiras à parte, ser um cidadão italiano é até mais fácil do que se imagina. Para ter esse direito, um brasileiro ou brasileira precisa ser filho, neto, bisneto ou até tataraneto de nascidos na Itália. Esse direito é chamado de jus sanguini - direito de sangue - e significa que qualquer descendente de italiano nas condições acima citadas podem solicitá-lo.

Porém, há alguns entraves. Descendentes de homens - pessoas que têm pais, avôs, bisavôs, tataravôs italianos - têm o direito garantido; descendentes de mulheres - pessoas com mães, avós, bisavós, tataravós italianas - só têm o direito se nascidas a partir de 1948.

Leia também:
Portugal discute dar cidadania a todos os nascidos no país
Região da Itália oferece R$ 3.000 mensais a quem quiser se mudar para cidades vazias
Viajar promove o bem-estar e combate ansiedade e depressão
 

Há ainda outros casos em que é possível solicitar a cidadania italiana: filhos de união não matrimonial; filhos reconhecidos ainda na minoridade; adoção; mulheres casadas com descendentes de italianos e filhos de italianos naturalizados brasileiros.

Como conseguir a cidadania italiana
O processo para obter a cidadania italiana pode ser bastante burocrático e custoso. Segundo levantamento realizado pelo jornal O Estado de São Paulo, os valores são bem altos e a espera pode chegar a doze anos se o processo for aberto no Brasil. Por aqui, os custos do pedido chegam a R$ 10 mil; na Itália, o valor das taxam podem alcançar os R$ 30 mil, mas o processo demora muito menos: três meses.

Separar a documentação é a primeira tarefa. Filhos de italianos têm mais facilidade, pois devem juntar certidões de nascimento, casamento ou óbito e carteiras de identidade originais do pai ou da mãe italiana e do requerente. Netos, bisnetos e tataranetos devem apresentar os mesmos documentos próprios, do parente italiano e a certidão de naturalização de todos os ascendentes da família.

Quem é casado com cidadão italiano há pelo menos três anos pode fazer o pedido, juntando os mesmo documentos citados anteriormente.

O passo seguinte é dirigir-se a algum consulado italiano no Brasil - ou na Prefeitura local, caso o requerente esteja na Itália. Em solo brasileiro, o atendimento acontece na embaixada italiana, em Brasília, e nos consulados localizados nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e Recife.

Só podem requerer a cidadania na Itália pessoas com registro de residência no país. A dica é chegar ao consulado com todos os documentos necessários, para evitar que novas comprovações sejam exigidas, causando mais demora.

Após longo período de análise, o requerente com parecer favorável é convocado para emitir certidão de não renúncia da cidadania, assinar o livro de registro e obter os documentos de cidadão italiano, incluindo o passaporte.

A cidadania permite livre acesso ao país, direitos fundamentais como moradia, educação, trabalho e lazer, além de ser uma porta de entrada para a Europa, possibilitando vida nova.

Veja também

Aprenda como publicar uma foto no Instagram pelo computador
TUTORIAL

Aprenda como publicar uma foto no Instagram pelo computador

Noiva recusa voto de submissão ao casar e viraliza
VIRAL

Noiva recusa voto de submissão ao casar e viraliza