A-A+

Cineasta Pedro Severien reflete sobre processo criativo em livro

Com tiragem inicial de 500 exemplares, 'Quando as luzes artificiais se apagam' será lançado nesta quinta-feira, no Sinspire

Pedro Severien lança o livro 'Quando as luzes artificiais se apagam'Pedro Severien lança o livro 'Quando as luzes artificiais se apagam' - Foto: Sâmia Emerenciano/Divulgação

Seja como diretor, roteirista ou produtor, Pedro Severien esteve envolvido em diversos projetos cinematográficos ao longo da última década. A vontade de refletir sobre os processos criativos e políticos desses trabalhos levou o realizador a pensar no livro "Quando as luzes artificiais se apagam". Com tiragem inicial de 500 exemplares, a publicação será lançada nesta quinta-feira, às 19h, no Sinspire, no Bairro do Recife.

A obra é uma coletânea de roteiros, entrevistas, ensaios, materiais visuais e contribuições de parceiros criativos de Pedro Severien. O cineasta atuou não só como organizador, reunindo os conteúdos, mas também como autor de boa parte dos textos. Foi durante o planejamento do seu primeiro longa-metragem, "Todas as Cores da Noite" (2015), que ele concebeu a proposta da publicação.

"Conseguimos um recurso para fazer a divulgação, identidade visual e produção gráfica do filme. Geralmente, as pessoas fazem um monte de cartazes e eles ficam lá encalhados. Por isso, eu tive a ideia de fazer um livro que tivesse também uma função no processo de distribuição do longa. Fui entendendo que eu queria falar também sobre as transformações pelas quais passei nos últimos dez anos, graças a acontecimentos que me impactaram", relembra o autor.

Leia também:
Cineasta pernambucano dirige documentário sobre Siron Franco
Indicado ao Oscar, longa '1917' constrói a ilusão de ser um filme sem cortes


O livro é dividido em três parte. Na primeira, intitulada "Anoitecer", as experiências envolvendo a feitura de "Todas as Cores da Noite" ganham o foco da discussão. "Revisitei algumas entrevistas que havia dado sobre o filme e, a partir disso, me voltei para investigações mais antigas. Usei o filme como base material para essa reflexão, mas são ideias que atravessam outros trabalhos e, por isso, fiquei com vontade de botar tudo no papel", explica.

Para colaborar com os textos presentes na obra, o diretor convidou pessoas com as quais já trabalhou no cinema, como o roteirista Luiz Otávio Pereira e as atrizes Sabrina Greve e Breda Ligia. "Para mim, o processo de criação é fundamentalmente colaborativo. É como se o encontro e a troca ativassem as imagens. Como isso era muito orgânico no cinema, precisava também trazer essas pessoas para o livro, porque elas fizeram parte dessa história", afirma.

A segunda parte da obra traz os roteiros originais dos filmes "Canção para minha irmã", "Loja de Répteis" e "Todas as cores da noite". Já na terceira, o diretor fala sobre seu engajamento em movimentos políticos como o Ocupe Estelita e o Ocupe Cine Olinda, refletido em produções audiovisuais colaborativas. Atualmente, Pedro se prepara para filmar seu segundo longa-metragem, "Fim de semana no paraíso selvagem".

O evento de lançamento do livro terá entrada gratuita. O autor fará uma leitura do capítulo que dá título ao livro, com intervenção visual da artista Biarritz. A obra estará à venda no local, além do DVD duplo "Todas as Cores da Noite e outros filmes que andam juntos", ambos pelo valor promocional do “pague o quanto puder”.

Veja também

DJ Ivis será solto após mais de 3 meses preso por agressão à ex-mulher
Agressor

DJ Ivis será solto após mais de 3 meses preso por agressão à ex-mulher

Musical 'A menina Akili e seu tambor falante' tem sessões online
Infantojuvenil

Musical 'A menina Akili e seu tambor falante' tem sessões online